Rapaz que fugiu de delegacia após estuprar criança morre em confronto com a polícia

A polícia confirmou a morte de Jaílson Rodrigo Bastos de Lima, mais conhecido como Ratinho, de 28 anos. Ele fugiu da delegacia de Fazenda Rio Grande, na região metropolitana de Curitiba (RMC) um dia depois de ser preso pelo estupro de uma criança. O crime foi cometido na cidade de Agudos do Sul, também na RMC, e gerou revolta na população porque o suspeito ficou detido por menos de 24 horas.

Marlon Santiago/Rede Massa

Conforme os relatos da polícia, o homem foi morto com um tiro na barriga depois de um confronto que aconteceu perto da casa onde morava. O homem se escondia num matagal atrás da pedreira – essa área já vinha sendo monitorada pelas forças de segurança porque havia fortes indícios de que o foragido estaria escondido naquela região. Ele ainda reagiu à abordagem e conseguiu ferir um policial com uma facada na mão.

Depois de ser baleado, o homem chegou a ser socorrido, mas morreu logo após dar entrada numa unidade de saúde do município. Peritos da Polícia Científica estiveram no local para elaborar o laudo que vai auxiliar a Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) da Polícia Civil a concluir o inquérito do caso.

O crime

Jailson era procurado por estuprar uma criança de 11 anos de idade no último dia 29 de junho em Agudos do Sul. Ele esperou a mãe da vítima sair para o trabalho, invadiu a casa da família e cometeu a violência sexual contra a menina – o crime foi praticado na frente do irmão da vítima, de apenas quatro anos. O criminoso ainda fugiu levando alguns objetos de valor da casa.

Ele chegou a ser preso poucas horas depois do crime e foi levado para a delegacia de Fazenda Rio Grande. Os policiais optaram por deixar o homem em uma sala separada para a segurança dele, já que presos por crimes sexuais contra crianças geralmente são agredidos e até mortos quando ficam na mesma cela que outros presos. No dia seguinte, ele pediu para ir ao banheiro e conseguiu escapar pela janela.

A caçada

Após o confronto, os policiais fizeram buscas pela região do matagal e encontraram um par de chinelos, uma blusa e um boné. Segundo a polícia, essas peças de roupa são do suspeito e foram recolhidas no local onde ele estava escondido. Segundo a polícia, desse ponto ele conseguia observar o movimento da rua e se escondia quando percebia a aproximação da polícia. Inclusive, esse ponto ficava bastante próximo da casa dele e, mesmo em fuga, ele visitava a mãe para buscar comida.

Marlon Santiago/Rede Massa

Ainda de acordo com a polícia, novos boletins de ocorrência foram feitos contra o suspeito porque ele estaria rondando algumas casas da região. De acordo com o delegado Ademair Braga, responsável pela investigação do caso, Ratinho voltou até a casa da vítima do estupro para ameaçar a família e chegou a atear fogo em outra residência, possivelmente para despistar a polícia.

Colaboração de Marlon Santiago e Juliana Rodrigues, da Rede Massa.