Reféns são liberados e rebelião chega ao fim na Penitenciária de Ponta Grossa

O Departamento Penitenciário do Paraná (Depen) informa que teve fim o motim na Penitenciária Estadual de Ponta Grossa (PEPG), por volta das 5 horas desta quarta-feira (9), com a liberação dos reféns, nos Campos Gerais do Paraná. A situação de crise começou no fim da tarde desta terça-feira (8), quando três presos que trabalhavam em uma fábrica de calçados, instalada no interior da penitenciária, renderam quatro funcionários da empresa.

Agentes penitenciários de plantão e do Grupo de Intervenção Interna (GSI) conseguiram isolar a situação na fábrica e o restante da penitenciária não foi afetada.

Uma equipe do BOPE da Polícia Militar foi acionada para realizar a negociação com os presos amotinados que solicitavam a transferência de unidade penal. Após negociação, por volta da 1 hora da madrugada o primeiro refém foi liberado sem ferimentos.

Ricardo Marcondes/Rede Massa
(Foto: Ricardo Marcondes/Rede Massa)

Às 5h13 os presos apresentaram fortes sinais de sonolência, quando os reféns conseguiram se soltar e tentaram fugir do local. Neste momento, os presos perceberam a ação e houve luta corporal, que foi contida rapidamente pelo grupo de intervenção do BOPE que conseguiu dar fim ao motim e liberar os reféns. Dos quatro funcionários, apenas um apresentou leves escoriações na região do pescoço e face. Todos foram atendidos por uma equipe do Corpo de Bombeiros e passam bem.

Os presos foram encaminhados ao Instituto Médico Legal (IML) para passar por exame de corpo de delito e, em seguida, à 13ª Subdivisão Policial onde serão autuados pelo crime de cárcere privado e outros crimes correlatos. Um procedimento administrativo será aberto para apurar o caso.

Com informações do DEPEN