Último suspeito no caso da morte de gerente de banco é preso

Moisés Gonçalves participou do crime arquitetado pelo ex-marido da vítima

Moisés Gonçalves estava na casa de parentes, no bairro Parolin, quando foi surpreendido pela Polícia Civil. O rapaz de 21 anos foi preso e encaminhado para a Delegacia da Mulher, em Curitiba. Ele era o último suspeito de envolvimento no feminicídio que estava em liberdade. A defesa estava negociando a apresentação do acusado na quarta-feira (07).

A execução da gerente da Caixa Econômica Federal foi no dia 28 de dezembro do ano passado. Tatiana Lorenzeti, de 40 anos, estava saindo da agência para almoçar quando foi atingida por um tiro na cabeça. O homem levou a bolsa da vítima e fugiu de carro. A PM localizou o bandido logo depois. Jonathan Alves da Silva, de 23 anos, foi morto durante o confronto. Rapidamente o que parecia um latrocínio se transformou num feminicídio.

O ex-marido da gerente, Antônio Henrique dos Santos, o Tonhão, arquitetou o crime e contou com a ajuda de outras quatro pessoas, que foram sendo identificadas e presas. Thales Arantes da Silveira Serafim, de 21 anos, e André Correia Barbosa, de 34 anos, ajudaram na fuga do Neguinho, o atirador.