Ministro descarta racionamento, mas pede uso ‘consciente’ de água e energia

SÃO PAULO (Reuters) – O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, descartou nesta segunda-feira o racionamento de eletricidade no Brasil em meio à crise hídrica enfrentada pelo país, mas pediu que haja consumo consciente para que impactos ao cotidiano da população sejam minimizados.

Em pronunciamento em cadeia nacional de rádio e TV, Albuquerque afirmou que o Brasil possui um setor elétrico robusto que dá garantias ao fornecimento de energia, acrescentando que a dependência das usinas hidrelétricas foi reduzida nos últimos anos.

Ainda assim, o ministro disse que é fundamental que os consumidores participem do esforço contra a crise hídrica evitando desperdícios.

“O uso consciente e responsável de água e energia reduzirá consideravelmente a pressão sobre o sistema elétrico, diminuindo também o custo da energia gerada”, afirmou ele.

“Em parceria com a indústria, estamos finalizando o desenho de um programa voluntário que incentiva as empresas a deslocarem o consumo dos horários de maior demanda de energia para os horários de menor demanda, sem afetar a sua produção e o crescimento econômico”, acrescentou.