Quarta dose da Pfizer reduz taxa de mortalidade em até 78% em idosos

Um estudo realizado por pesquisadores de Israel mostrou que a quarta dose da vacina contra covid-19 da Pfizer diminuiu em até 78% a taxa de mortalidade em idosos, quando comparado com aqueles que receberam apenas uma dose de reforço. Apesar de promissor, a pesquisa foi publicada como uma pré-impressão e ainda precisa passar por pares.

Conforme informado pelo serviço de saúde local (Clalit Health Services), a pesquisa englobou meio milhão de pessoas com idades entre 60 a 100 anos. Aqueles que receberam alguma dose da vacina da Moderna foram excluídos do estudo, bem como os cidadãos que estavam tomando algum medicamento oral contra a doença. 

No geral, cerca de 58% dos participantes receberam o segundo reforço – ou duas injeções além do regime básico de duas doses, enquanto o restante recebeu apenas um reforço. Os pesquisadores registraram, então, 92 mortes no primeiro grupo e 232 mortes no segundo, composto por menos pessoas.

A principal conclusão, segundo Ronen Arbel, pesquisador de resultados de saúde do Clalit and Sapir College, foi que o segundo reforço é eficaz e necessário, já que a proteção do imunizante pode ir caindo com o tempo e o vírus pode sofrer novas mutações.

Informações do portal SBT News.