Rapper Filipe Ret é alvo de operação policial após ‘open bar’ de maconha

A Polícia Civil do Rio de Janeiro foi às ruas na manhã desta terça-feira (19) para operação que mira o rapper Filipe Ret, investigado pela suposta distribuição de maconha durante seu aniversário. A festa em que o rapper é suspeito de distribuir maconha aconteceu no início do mês na Zona Sul do fluminense.

Ao menos cinco mandados de busca e apreensão foram cumpridos, um deles num resort de luxo em que o cantor hospedou-se na Costa Verde do estado. Todos os mandados são de endereços ligados a Filipe. 

O local onde aconteceu o evento promovido pelo rapper, o espaço Vivo Rio, no Aterro do Flamengo, recebeu o nome de “open beck” ou ‘maconha liberada’, em tradução livre. O espaço também é um dos alvos da polícia. Mesmo afirmando que estava cooperando com as investigações, a administração da casa se negou a fornecer as imagens do dia da festa. 

As investigações se baseiam com imagens de redes sociais em que o rapper aparece segurando um balde com vários cigarros de maconha e oferecendo aos convidados. A polícia apreendeu o celular do cantor e uma quantidade em maconha.

Segundo as investigações, participaram da festa no dia 22 de junho o surfista Pedro Scooby, a influencer Jade Picon e o ex-jogador de futebol Ronaldo Fenômeno. Dois dias após analisar as imagens, foi aberto inquérito para apurar as denúncias contra o rapper Filipe Ret.