Rússia volta a prometer cessar-fogo e corredor humanitário na Ucrânia

O ministério da Defesa da Rússia voltou a prometer, nesta 2ª feira (7), o cessar-fogo temporário das operações militares na Ucrânia para abrir os corredores humanitários nas cidades de Kharkiv, Mariupol e Sumy, além da capital ucraniana, Kiev. Tal medida foi acordada entre os países durante o segundo encontro de negociações, na semana passada, para garantir a segurança da retirada dos civis do país.

Segundo a pasta, a iniciativa atende a um pedido do presidente francês, Emmanuel Macron, que conversou por telefone com o líder russo, Vladimir Putin, na noite de ontem (6.mar), depois de várias declarações de Volodymyr Zelensky, presidente da Ucrânia. Apesar do cessar-fogo já ter sido iniciado, agências de notícias internacionais relatam ataques russos contra civis que tentaram deixar o país. 

Hoje, a invasão russa à Ucrânia chega ao seu 12º dia, com bombardeamentos aéreos e combates militares. A principal tensão é o possível ataque a Kiev, uma vez que as autoridades ucranianas confirmaram uma nova movimentação das forças russas, que devem tentar assumir o controle total das cidades de Irpin e Bucha, próximas à Kiev. De acordo com o governo, a luta pela capital será uma “batalha-chave”.

Uma delegação russa partiu para a Bielorrússia, onde se reunirá com negociadores ucranianos para a terceira rodada de negociações nesta segunda-feira (07.mar) sobre o fim das hostilidades, informou a agência de notícias Sputnik Belarus.

Nesta manhã, o governo da Ucrânia informou que mais de 228 mil civis já foram evacuados do país, sendo 46 mil são crianças e 917 portadores de alguma deficiência. Além disso, a Organização das Nações Unidas (ONU) calcula que mais de 1,5 milhão de ucranianos cruzaram a fronteira do país até o momento, procurando abrigo principalmente na Polônia e Hungria.

Informações SBT News