Testes positivos de covid-19 sobem de 13% para 34,3% em maio

Os testes com resultado positivo para a covid-19 passaram de 13% para 34,3% em maio, um crescimento de 163%. O aumento do número de casos já provoca reflexo nas internações em vários estados e fez com que governos e prefeituras voltassem, nos últimos dias, a recomendar e até obrigar o uso de máscaras em locais fechados. A análise é do Instituto Todos pela Saúde (ITpS) com base em 255.426 testes feitos pelos laboratórios privados Dasa, DB Molecular e HLGyn de 1º de fevereiro a 28 de maio, cerca de 95% coletados nos estados das regiões Sudeste e Centro-Oeste.

Em maio, todas as faixas etárias e todos os estados observados tiveram aumento da positividade para covid-19. No Distrito Federal, o percentual passou de 6% para 23%, em Minas Gerais, de 19% para 34%, no Rio de Janeiro, de 16% para 32% e em São Paulo, de 19% para 35%. No mesmo período, a positividade entre as crianças de 0 a 4 anos aumentou de 5% para 10% e entre as de 5 a 9 anos, de 12% para 22%. Até a semana de 28 de maio, todos os grupos etários entre 10 e 80 anos tiveram positividade superior a 30%, chegando a 43% entre as pessoas de 50 a 59 anos.

Adultos dos 50 aos 59 anos devem ficar atentos à quarta dose da vacina contra covid-19. O ministério da Saúde liberou o reforço, que começará a ser aplicado nos próximos dias para aqueles que receberam a terceira dose há pelo menos quatro meses. A expectativa é de imunizar 32 milhões de pessoas.

Os testes moleculares analisados pelo ITpS identificam, além do SARS-CoV-2 (covid-19), o Vírus Sincicial Respiratório (VSR) e os vírus da Influenza A e B. Na última semana (até 28 de maio), dos testes positivos, 98,1% indicaram SARS-CoV-2, 1,5%, VSR e 0,4%, Influenza A.

O VSR causa resfriados comuns na maioria das pessoas, mas pode provocar casos graves em crianças pequenas e idosos. A média da positividade para o VSR está em 10,3%.

Entre os resultados positivos de exames para vírus respiratórios feitos em crianças de 0 a 4 anos, 37,7% identificam o Vírus Sincicial Respiratório e 60,7%, o SARS-CoV-2. Quando são observadas crianças de 5 a 9 anos, há uma inversão: 1,29% são resultados positivos para VSR e 96,8% para SARS-CoV-2.

O ITpS está monitorando a circulação dos vírus respiratórios utilizando dados dos laboratórios parceiros. O objetivo é fornecer para o poder público, a imprensa e a sociedade informações com rapidez para ajudar na tomada de decisões. Paralelamente, o ITpS também acompanha o cenário epidemiológico das variantes da cepa Ômicron em circulação no país. Os dois relatórios são divulgados em semanas alternadas.

Informações de SBT News