Ucrânia acusa Rússia de atacar mais de 17,3 mil alvos civis

O vice-ministro do Interior ucraniano, Yevhen Yenin, acusou, nesta sexta-feira (15), a Rússia de atacar mais de 17,3 mil alvos civis contra apenas 300 alvos militares em quase cinco meses de ofensiva. Os dados constam em um relatório entregue pelo político, que classificou a estratégia russa como uma maneira de “aniquilar os ucranianos”.

A declaração acontece pouco tempo após um ataque na cidade de Vinnytsia, onde mísseis atingiram um prédio comercial deixando 23 mortos e 51 feridos. O caso foi considerado como “terrorismo” pelo presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, que explicou que o município fica longe da linha de frente das batalhas.

Após a repercussão do caso, Moscou divulgou uma nota informando que não esperava atingir o imóvel civil, mas sim o prédio onde acontecem reuniões de comandos das forças ucranianas. “Por causa deste ataque, os participantes da reunião foram eliminados”, disse o governo russo, reforçando que atinge apenas alvos militares.

Segundo último balanço da Organização das Nações Unidas (ONU), a ofensiva russa na Ucrânia já resultou na morte de 4,8 mil civis, sendo 335 crianças. A maioria dos registros aconteceu em ataques com artilharia pesada em áreas residenciais. Além disso, mais de 9,1 cidadãos estão em situação de refúgio no mundo.

Informações de SBT News