Versão trivalente da ButanVac aumenta proteção contra ômicron e delta

Em um estudo pré-clínico realizado por pesquisadores norte-americanos mostrou que a versão trivalente da vacina contra covid-19 ButanVac induz proteção elevada contra as variantes ômicron e delta. O texto, publicado na revista Microbiology Spectrum, aponta que o imunizante aumenta a quantidade de anticorpos neutralizantes contra as cepas.

Segundo a pesquisa, feita com animais de laboratório, a formulação trivalente da vacina com a cepa original, beta e delta foi a mais eficaz para elevar a proteção contra a doença. O imunizante reduziu em mais de 3 mil vezes a quantidade de vírus em animais infectados pela delta, em comparação com aqueles imunizados com a vacina original.

Com o surto da variante ômicron no final de 2021, os cientistas também testaram as formulações desenvolvidas anteriormente contra a nova variante. A ButanVac trivalente aumentou em 9,3 vezes a quantidade de anticorpos neutralizantes contra a ômicron, enquanto no caso da vacina tetravalente (contra vírus original, beta, gama e delta), o aumento foi de 11 vezes.

“Acreditamos que testes mais precisos de várias vacinas em formulações multivalentes podem ser uma estratégia eficaz para a imunização contra futuras variantes do SARS-CoV-2”, afirmam os autores do artigo. 

No Brasil, a versão original da ButanVac está sendo avaliada como dose de reforço e pode estar disponível até 2023. No começo de junho, o Instituto Butantan entregou à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) os resultados da fase 1 dos ensaios clínicos, que mostraram que a vacina é segura e induz produção de anticorpos.

Informações de SBT News