Vitória russa: militares ucranianos concluem combates em Mariupol

Os militares ucranianos decretaram, na noite de segunda-feira (16), o fim da “missão de combate” na usina siderúrgica de Azovstal, o último ponto de resistência na cidade portuária de Mariupol. Em nota divulgada, as tropas informaram que mais de 260 soldados foram retirados da fábrica, entre eles 53 feridos.

“Os defensores de Mariupol são heróis do nosso tempo. Ficarão para sempre marcados na história. Isso inclui a unidade especial Azov, a 12ª Brigada da Guarda Nacional da Ucrânia, a 36ª Brigada Separada de Fuzileiros Navais, guardas de fronteira, polícia, voluntários, a Defesa Territorial de Mariupol”, acrescenta o comunicado.

No texto, os militares também destacam que, ao concentrar as principais forças russas em torno de Mariupol, o exército local teve a oportunidade de preparar e criar novas linhas defensivas. O período de resgate na usina ainda proporcionou um “tempo crítico” para as tropas formarem reservas, receberem assistência de parceiros e reagruparem forças para conter a ofensiva russa.

Em comunicado, o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, saudou os combatentes e disse que espera que seja possível salvar as vidas “dos nossos garotos”. Ele ressaltou ainda que mantém a atividade diplomática em outras áreas de combate do país, bem como no cenário internacional para um possível acordo de cessar-fogo.

Com a ocupação de Mariupol pelas forças russas, especialistas preveem que o exército conecte por terra a Crimeia, anexada por Moscou em 2014, com as regiões separatistas de Donbass. O cenário disponibilizaria uma importante passagem de suprimentos e liberaria um grande número de soldados para participar dos conflitos em outras partes da Ucrânia.

Informações de SBT News