Campanha Novembro Vermelho alerta para prevenção e combate ao câncer de boca

A Lei Estadual nº 19.868/2019 instituiu a campanha Novembro Vermelho para alertar para a prevenção e combate ao câncer de boca no Paraná. Ao longo deste mês, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) reforça as ações e orientações para conscientizar a população sobre a importância dos cuidados com a saúde bucal. O Dia D de conscientização será realizado no dia 19 de novembro. Nesta terça-feira (1º), a Sesa promoveu um evento virtual para dar início à campanha.

“O câncer de boca é um grave problema de saúde pública que pode ser controlado se for diagnosticado precocemente. O Novembro Vermelho é uma campanha de conscientização para alertar para esse cuidado, evitando um prognóstico desfavorável em estágio avançado e até mesmo a morte pela doença”, disse o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto.

Dados

A Agência Internacional para Pesquisa em Câncer (Iarc) estimou cerca de 378 mil novos casos e quase 178 mil mortes por câncer de boca no mundo em 2020. A estimativa do Instituto Nacional de Câncer (Inca) para este mesmo ano era de 15.190 casos no Brasil e 910 no Paraná (não há dados mais atualizados). O número de mortes no país, segundo o Atlas de Mortalidade por Câncer, chegou a 6.192 em 2020.

Segundo o livro “Diagnóstico Precoce do Câncer de Boca”, elaborado pelo Ministério da Saúde por meio do Inca, o Brasil apresenta a maior taxa de incidência de câncer de boca da América do Sul, de 3,6 casos por 100 mil habitantes, e a segunda maior taxa de mortalidade, de 1,5 morte por 100 mil habitantes. No Paraná, a incidência é de 9,52 casos para cada 100 mil homens e 2,75 casos para cada 100 mil mulheres.

“Esperamos que durante todo esse mês possamos conscientizar cada vez mais os profissionais de saúde com relação as diretrizes que visam prevenir, controlar todos os tipos de câncer, em especial o câncer de boca”, apontou a diretora de Atenção e Vigilância em Saúde, Maria Goretti David Lopes.

Prevenção e diagnóstico

O câncer de boca é um tumor maligno que afeta os lábios e cavidade oral, e está entre os mais incidentes no Brasil, além de estar entre os seis tipos de câncer mais comuns em homens e oitavo nas mulheres. A doença pode ser prevenida de maneira simples e tratada se diagnosticada precocemente, embora a maioria dos casos seja identificado em estágios avançados.

Os maiores fatores de risco para o desenvolvimento do câncer de boca são o tabagismo e o consumo de álcool. Além destes, exposição ao sol sem prevenção, excesso de gordura corporal e infecção pelo vírus HPV também são condições de maior risco de câncer.

Os principais sintomas são lesões que não cicatrizam por mais de 15 dias, manchas vermelhas ou esbranquiçadas na língua, gengivas, céu da boca e bochechas, nódulos no pescoço e rouquidão permanente. Em casos mais avançados, a doença pode dificultar a fala, mastigação, deglutição, a movimentação da língua, e dar sensação de que há algo preso na garganta. Em todos os casos, a Sesa orienta que a pessoa procure uma Unidade Básica de Saúde para uma avaliação.

Lei

Conforme instituído na lei, a campanha tem os seguintes objetivos: conscientizar a população sobre a importância de prevenir e combater precocemente o câncer de boca, enfatizando a sua gravidade, a necessidade de cuidados e o diagnóstico precoce; estabelecer diretrizes para o desenvolvimento de ações integradas, visando prevenir e combater o câncer de boca, envolvendo a população, órgãos públicos e empresas privadas; e detectar precocemente lesões malignas em cavidade oral e lábios e encaminhar o paciente para um tratamento adequado.

Confira a programação da equipe de Saúde Bucal durante o mês de novembro.

Informações da Agência Estadual de Notícias