Acusado de jogar gasolina e matar esposa queimada é condenado a 24 anos de prisão

Um homem foi condenado a 24 anos de prisão por matar a própria esposa queimada depois de jogar gasolina na vítima. O crime aconteceu em 2019 depois de uma discussão e o réu foi condenado nesta semana pelo Tribunal do Júri de Carlópolis, no Norte Pioneiro do Paraná.

Conforme a denúncia apresentada pelo Ministério Público do Paraná (MPPR), o casal discutiu no dia 21 de agosto de 2019 e o homem jogou gasolina no corpo da esposa. Em seguida, ateou fogo e provocou queimaduras de segundo grau em 90% do corpo da vítima, que morreu logo em seguida. O casal tinha seis filhos e uma das crianças, de quatro anos, também foi atingida pelo fogo e morreu com 63% do corpo queimado.

Os jurados acataram todas as qualificadoras consideradas pelo MPPR no caso da morte da mulher: feminicídio, motivo fútil, uso de meio cruel e emprego de meio que impossibilitou a defesa da vítima. No entanto, com relação à morte da filha, o réu foi absolvido porque os jurados consideraram que o homem não teve a intenção de atingir a filha. O MPPR já revelou que vai recorrer dessa decisão.

Como o homem já estava preso, ele não poderá recorrer em liberdade da sentença.