Acolhidos da FAS expõem quadros e participam de desfile sustentável

Uma exposição de telas e um desfile sustentável de bolsas produzidas com o reaproveitamento de banners movimentaram a Casa de Passagem Solidariedade, neste sábado (27), em Curitiba. O evento marcou o encerramento do projeto Retomando o Caminho, desenvolvido pela organização da sociedade civil Amigos em Ação, na Casa de Passagem Solidariedade, unidade da Fundação de Ação Social (FAS) que acolhe homens em situação de rua.

Quem visitou a casa pode conhecer dezenas de telas pintadas pelos próprios acolhidos e expostas no corredor principal da unidade. A maioria dos quadros foram produzidos a partir de desenhos feitos primeiramente com giz e que retratam os sonhos de cada participante do projeto.

O mesmo desenho estampou as camisetas usadas pelos acolhidos durante o desfile das bolsas sustentáveis confeccionadas na oficina de costura que também é oferecida na Casa de Passagem Solidariedade, localizada no Rebouças.  

O desfile contou ainda com a participação de mulheres em situação e rua acolhidas na Casa das Mulheres e participantes da oficina de costura. O ateliê foi equipado com máquinas de costura que eram usadas em cursos do programa Liceu de Ofícios.

Dia animado

Natural de São Roque (SP), Fábio Rodrigues da Cruz, 31 anos, chegou há quatro meses a Curitiba e participou de todas as etapas do projeto. “Está sendo um dia bonito, animado e diferente”, disse o rapaz que vestia uma camiseta com as palavras Saudade, Sentimento, Emoção e Erros. “Essas palavras representam muita coisa, principalmente a falta da minha família e de amigos que deixei em São Roque.”  

Raimundo José Santana, 61 anos, foi o primeiro a entrar na passarela. Desinibido, arriscou uma dança, sob aplausos de quem assistiu ao desfile. “Eu fui professor de dança em Almirante Tamandaré”, contou o homem que disse já ter trabalhado como bancário e porteiro e está há quatro anos em situação de rua, desde então atendido pela FAS.

Atividades

O projeto Retomando Caminho foi desenvolvido na Casa Solidariedade durante dois meses. A ação ofereceu aulas de artes e de costura e foi realizada pela organização Amigos em Ação, em parceria com o Trem do Bem, que reúne voluntários das empresas Rumo e Brado.

Maria Rusik, representante da Amigos em Ação, conta que muito além da produção dos quadros, as aulas de artes serviram para reflexão dos acolhidos. “Nas atividades falamos primeiro de sentimento, para depois chegarmos aos desenhos”, explicou.

Durante a mostra cultural, seis acolhidos foram premiados com bolsas e brindes da Rumo. Eles desenharam e pintaram locomotivas que foram emolduradas e vão decorar salas da empresa, considerada a maior operadora ferroviária do país.  

Informações da Prefeitura de Curitiba