Câmara sugere criação de loteria para bancar transporte coletivo

Na capital paranaense, fazer aquela fezinha nas casas lotéricas pode ganhar mais uma opção. Com a justificativa de auxiliar o custeio do transporte público, sugestão ao Poder Executivo, aprovada pela Câmara Municipal de Curitiba (CMC), na sessão desta quarta-feira (3), propõe a criação de uma loteria municipal.

A proposição diz que o serviço poderia ser implementado pela Secretaria Municipal de Planejamento, Finanças e Orçamento ou, ainda, na condição de concessão, permissão ou organização credenciada. A ideia é que a arrecadação com as apostas, descontados os valores das premiações e com a gestão da loteria, sejam destinados ao subsídio do transporte público de Curitiba.

Para o autor da indicação, Professor Euler (MDB), a medida poderia ajudar a reduzir o custo da passagem – hoje, o valor pago pelo usuário é de R$ 5,50. No fim do primeiro semestre, outra sugestão da CMC tratou da regulamentação da lei que já autoriza o Município a explorar a publicidade nos ônibus. “Ideias para a gente minimizar o déficit do serviço público municipal são sempre bem-vindas, comentou Amália Tortato (Novo), autora da proposição acatada anteriormente.

Os vereadores avalizaram, nesta manhã, oito indicações. Também foi debatida sugestão para que a Prefeitura de Curitiba adote um sistema de avaliação dos servidores com cargos em comissão. O autor, Euler, lembrou o projeto, aprovado no fim de junho, que alterou as regras da avaliação dos funcionários efetivos.

Na discussão da proposta, Professora Josete (PT) defendeu o diálogo com os sindicatos que representam a categoria. Conforme Dalton Borba (PDT), a sugestão atende ao princípio constitucional da eficiência administrativa.

Informações da Câmara de Curitiba.