Câmeras flagram morte de jovem em tabacaria no bairro Ganchinho; autor do crime segue solto

Câmeras de segurança flagraram o momento da morte do jovem Leonardo Rodrigues dos Santos, 23 anos, atingido com um tiro na nuca em uma tabacaria no bairro Ganchinho, em Curitiba. O crime aconteceu no dia 15 de outubro e o vídeo foi divulgado nesta semana.

As imagens mostram a ação do atirador durante uma festa no estabelecimento. Ele chega pelos fundos, atira e sai do local, calmamente. Assista:

Marcos Felipe, principal suspeito, se apresentou na delegacia dois dias após a morte de Leonardo e confessou o crime. Segundo o delegado Victor Menezes, responsável pelo caso, a vítima foi atingida com dois tiros na nuca.

Vítima (à esquerda) foi morta com dois tiros na nuca. Foto: Reprodução

O inquérito do caso foi finalizado. Marcos foi indiciado por homicídio qualificado por motivo torpe e com recurso que impossibilitou a defesa da vítima. Nos próximos dias, o Ministério Público deve fazer a denúncia.

A advogada Cleonice Silva, que defende a família de Leonardo, afirmou que a acusação vai pedir a prisão preventiva de Marcos, que segue em liberdade. Com as novas imagens divulgadas, a advogada espera que a qualificadora de perigo comum seja adicionada à denúncia, já que a tabacaria estava lotada no momento em que Marcos atirou.

Motivação do crime

No depoimento ao delegado Victor Menezes, Marcos Felipe disse que, durante a festa na tabacaria, fez uma brincadeira em que jogou água na cara de uma mulher e depois saiu. Leonardo teria ido tirar satisfação na mesa onde os amigos do atirador estavam. Após isso, Marcos efetuou os disparos.

Testemunhas do crime, porém, afirmam que isso não aconteceu. Elas apontaram que tudo teria acontecido por ciúmes, pois a ex-namorada do suspeito se envolveu com Leonardo no dia da festa na tabacaria. No entanto, Marcos não confirma essa versão.

O atirador ainda diz que não conhecia Leonardo. Porém, uma familiar da vítima disse que eles se conheciam da Igreja.

O agora segue para o Ministério Público, que deve fazer a denúncia contra o autor do crime.

Leia mais sobre o caso: