Casos ativos de covid-19 em Curitiba continuam em queda duas semanas após Carnaval 

Após um começo de ano com alta nos casos de covid-19, desde fevereiro os números da doença vêm baixando em Curitiba. Duas semanas após o feriado do Carnaval, o número de casos ativos caiu pela metade e os órgãos de saúde pensam em flexibilizar o uso das máscaras. 

No dia 1º de março, terça-feira de Carnaval, a capital tinha uma média móvel de 862 novos casos nos últimos 14 dias. Nesta segunda (14), a média estava em 421, 51,2% menor. 

Já o total de casos ativos no feriado era 6.727; duas semanas depois, estava em 3.325, uma redução de 50,6%. 

Números são melhores do que o ano passado 

A situação em 2022 está melhor do que o registrado no mesmo período em 2021. No dia 16 de fevereiro do ano passado, no Carnaval, havia 5.039 casos ativos em Curitiba. Duas semanas depois, o número cresceu 64,3%. 

Também havia mais pessoas internadas em leitos de UTI. Depois do Carnaval de 2021, a ocupação dos 383 leitos de UTI SUS exclusivos para covid-19 estava em 93%. Já nesta segunda-feira (14), um ano depois, são 72 leitos disponíveis na capital e a taxa de ocupação está em 40%. 

Uso de máscaras pode deixar de ser obrigatório no Paraná 

Com a melhora nos indicadores do coronavírus, a Assembleia Legislativa do Paraná começa a debater nessa semana a proposta que pode dar início à flexibilização do uso de máscara em todo o Paraná. O projeto de lei 76/2022, assinado pelo Poder Executivo, está sendo discutido na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) nesta terça-feira (15). 

O texto trata da autorização para que o próprio governo do estado possa definir por decreto sobre a obrigatoriedade ou não da medida de proteção no âmbito do enfrentamento da pandemia da covid-19. Alguns municípios paranaenses, como Arapongas e Irati, já desobrigaram o uso de máscara em ambientes abertos ou fechados.