Massa News, notícias do Paraná e do Brasil

Curitiba, PR
Clima
19.5ºC
Massa News, notícias do Paraná e do Brasil

“Não preciso de 15 minutos de fama”, diz cerimonialista que fingiu a própria morte

Barbara Schiontek

Barbara Schiontek

“Não preciso de 15 minutos de fama”, afirmou Baltazar Lemos, 60 anos, que organizou o próprio velório na Capela Vaticano, em Curitiba. O caso aconteceu na quarta-feira (18) e agitou as redes sociais, após o cerimonialista fingir a própria morte.

Foto: Rede Massa

Leia a história completa: Cerimonialista organiza o próprio velório para comemorar aniversário e divide opiniões

Baltazar, que trabalha como cerimonialista há 30 anos, explica que nunca usou a palavra morte, mas que induziu as pessoas a acreditarem que ele havia morrido.

Em seus perfis na internet, ele postou as seguintes mensagens:

Foto: Reprodução | redes sociais
Foto: Reprodução | redes sociais
Foto: Reprodução | redes sociais

Em entrevista para o programa Tribuna da Massa, Baltazar afirmou que tinha a curiosidade de ver quem iria até o velório dele. O cerimonialista também falou que queria incentivar as pessoas a celebrarem a vida.

Amigos de Baltazar reagem a falso velório

A respeito da má repercussão, o homem diz que nunca foi intenção brincar com a morte. “Peço perdão se alguma pessoa sentiu que eu mexi com os sentimentos. Eu sei que brincar com a morte não é fácil, mas eu queria que meus amigos vissem que a gente tem que aproveitar a vida”.

Sobre a reação dos amigos que estavam presentes no local, ele comenta que alguns ficaram irritados, mas felizes em ver ele bem. “Sou o primeiro morto-vivo do mundo”.

Ele também falou que recebeu muitas ‘homenagens póstumas’, mas que gostaria de receber isso em vida. “Vejam, falem. A gente tem que fazer pelas pessoas enquanto estão vivas. Eu recebi muitas homenagens póstumas [e pensei] fala isso para mim enquanto eu estou vivo”.

E Baltazar deixa como mensagem final: “A vida tem que ser comemorada. Cada segundo precisa ser comemorado”.

Nota da Capela Vaticano

Por causa da grande repercussão do caso, a empresa Vaticano emitiu uma nota se pronunciado sobre o caso. “Referente ao evento de despedida do Senhor Antonio Baltazar Lemos, a Capela Vaticano vem por meio desta, esclarecer que a instituição efetuou uma cessão de espaço de culto religioso, não existindo nenhuma responsabilidade em relação à condução e conteúdo do referido culto / cerimônia. Informa ainda que o Sr. Antonio Baltazar prestou serviços para a referida empresa até Outubro de 2022, permanecendo após essa data como cliente do Plano.
Os colaboradores da instituição ficaram extremamente entristecidos com as notícias veiculadas nas redes sociais, devido ao vínculo afetivo com o ex colega.
Nossa equipe trabalha na base da ética e do respeito há mais de 90 anos. Reiteramos nosso compromisso de respeito a todos os clientes da empresa e estamos à disposição para eventuais dúvidas e esclarecimentos”.

Entre no grupo do Massa News
e receba as principais noticias
direto no seu WhatsApp!

Compartilhe essa matéria nas redes sociais

Ative as notificações e fique por dentro das notícias

Dá o play Assista aos principais vídeos de hoje
Colunistas A opinião em forma de notícia