Chefe denunciado por ejacular em roupa de funcionária é condenado por estupro

Após ejacular na roupa de uma funcionária, o dono de uma loja de suplementos no bairro Água Verde, em Curitiba, foi condenado por estupro. Ele também terá que pagar uma indenização de R$ 25 mil para a vítima.

O caso aconteceu em 26 de fevereiro de 2021. A funcionária fez o relato e o Ministério Público (MP) denunciou o homem pelos crimes de importunação sexual, assédio e estupro.

Um laudo comprovou a presença de sêmen nas vestimentas da funcionária. Por esse motivo, o material genético do condenado será colocado no banco de dados sigilosos, pertencente ao Instituto Médico Legal (IML), para a comprovação de crimes futuros.

Na época, ele chegou a dizer para a vítima que havia ejaculado pois precisava liberar ocitocina.

Conforme o relato da mulher, logo que começou a trabalhar na loja, passou por situações constrangedoras com o dono do local. Ao notar que aquilo não era normal, ela começou a gravar as conversas com ele.

Em um dos áudios, o homem diz “para crescer profissionalmente você tem que me ajudar. É uma parceria, é uma troca”. A funcionária responde que tem marido e filho e que não faria o que ele estava pedindo. Em outro momento, o acusado fez comentários sobre o corpo da mulher.