Com atualização, mulheres presas em flagrante serão encaminhadas para Cadeia Pública de Curitiba

A Secretaria da Segurança Pública do Paraná (Sesp) atualizou o fluxo de entrada das mulheres presas em flagrante em Curitiba no sistema penitenciário. Antes, elas eram encaminhadas à Polícia Civil do Paraná (PCPR) para os procedimentos do caso, onde permaneciam até 24 horas para a realização da audiência de custódia. Agora, elas serão conduzidas diretamente para a Cadeia Pública de Curitiba, unidade da Polícia Penal do Paraná (PPPR), no CIC, que passou por reforma, em um investimento estimado em R$ 1 milhão, e aguardarão nesse local a audiência.

Segundo a delegada Maritza Haisi, a atualização do fluxo traz benefícios para a instituição e para a comunidade. “O efetivo que era empregado para custódia momentânea e remoção dessas presas será direcionado para atuar exclusivamente na atividade fim dos policiais, que é a investigação policial. Assim, vamos melhorar e potencializar o trabalho investigativo na Capital”, afirmou.

O chefe das cadeias na Regional de Curitiba, Marcos Antonio de Paula, explicou a mudança. “As presas oriundas da Central de Flagrantes eram encaminhadas para o 5º Distrito Policial da PCPR. Com a alteração do fluxo, as presas em flagrante serão encaminhadas à Cadeia Pública de Curitiba, que é uma unidade prisional totalmente controlada pela Polícia Penal”, disse.

As mulheres que tiverem mandado de prisão ativo e forem presas serão encaminhadas para a unidade de Rio Branco do Sul, na Região Metropolitana de Curitiba.

Informações da Agência Estadual de Notícias