Com nova onda de frio, Curitiba reforça resgate de pessoas em situação de rua

Com a previsão da chegada de uma nova onda de frio que vai derrubar as temperaturas no Paraná, a Prefeitura de Curitiba volta a reforçar o atendimento a pessoas em situação de rua. O trabalho que já é executado 24 horas por dia, será ampliado entre a noite desta sexta-feira (29) e a madrugada de terça-feira (2), período em que os termômetros deverão registrar mínima de até 3 graus.

As chamadas ações intensificadas fazem parte da Ação Inverno – Curitiba que Acolhe, que teve início em 15 de maio, e são realizadas sempre que há previsão de temperaturas abaixo de 8 graus. Das 18h a 1h, mais equipes de abordagem social vão percorrer as ruas de toda a cidade, em busca de pessoas que estejam desprotegidas para ofertar acolhimento.

Educadores sociais da Fundação de Ação Social (FAS) farão busca ativa em roteiros já identificados e estabelecidos, nas dez regionais da cidade, além de atenderem solicitações que chegarem à Central 156. Profissionais do Consultório na Rua participam das abordagens para ajudar na avaliação dos casos que precisam de atendimento de saúde.

Durante o dia, nas regionais, a abordagem à essa população continua sendo feita pelos Centros de Referência Especializados de Assistência Social (Creas) e, nos demais horários da noite, pela Central de Encaminhamento Social (CES), que funciona 24 horas por dia e sete dias na semana.

Mais vagas

Durante as abordagens sociais, as equipes oferecem acolhimento nas unidades do município, onde a população em situação de rua encontra local para higiene, alimentação e cama quente.

Atualmente, a fundação oferece 1.342 vagas, distribuídas em 27 unidades próprias e parceiras.  “Esse número pode ser ampliado, de acordo com a demanda”, explica a presidente da FAS, Maria Alice Erthal.

Pessoas em situação de rua com problemas de saúde têm atendimento diferente. Além de serem monitoradas constantemente pelas equipes, que já conhecem cada caso, elas podem ser encaminhadas para unidades de saúde do município.

Para aqueles que recusarem acolhimento, as equipes de abordagem fazem a distribuição de cobertores e mantas térmicas.

Como acontece desde 2019, os animais de estimação também são transportados com seus tutores. Para isso, a FAS mantém em suas Kombis para abordagem social, caixas para animais de até médio porte. Para esses casos, o acolhimento é feito na Praça Solidariedade, complexo de atendimento à população de rua onde existem canis.

Ajuda pelo 156

A Prefeitura pede a ajuda da população para proteger as pessoas em situação de rua. A orientação é para que entrem em contato com a Central 156, por telefone, site ou pelo aplicativo Curitiba 156, sempre que avistarem alguém nessa condição.

As informações são da Prefeitura de Curitiba.