Com previsão de chuva e baixas temperaturas, Curitiba prorroga ação de acolhimento de pessoas em situação de rua

Com a previsão de continuidade da chuva e das baixas temperaturas em Curitiba, a Prefeitura vai prorrogar o trabalho de abordagem social e acolhimento de pessoas em situação de rua. A ação, que geralmente acaba em 15 de setembro, irá até 15 de outubro.

Segundo a presidente da Fundação de Ação Social (FAS), Maria Alice Erthal, a medida tem o objetivo de proteger a população que vive desprotegida nas ruas da cidade. “Nossas equipes continuarão nas ruas intensificando um trabalho que já é executado 24 horas por dia e todos os dias da semana, para que ninguém sofra com o frio”, explica.

De acordo com o Sistema Meteorológico do Paraná (Simepar), até 15 de outubro as temperaturas mínimas ficarão abaixo de 15 graus, em Curitiba. A menor delas, 10 graus, será registrada no dia 9.

A chuva que deverá ocorrer quase todos os dias da primeira quinzena do mês é outro fator que traz riscos à população em situação de rua, segundo Maria Alice.

Ações intensificadas

Coordenada pela FAS, a Ação Inverno teve início em 15 de maio. Desde então, o município aumentou o número de vagas nos abrigos para acolher as pessoas em situação de rua, além de realizar ações intensificadas para oferta de serviços todas as noites em que há previsão de temperaturas abaixo de 8 graus.

O trabalho também passou a ser intensificado nas noites de chuva, quando aumentam as dificuldades e os riscos de hipotermia de quem vive nas ruas.

Durante as ações intensificadas, a FAS amplia o número de educadores sociais que percorrem a cidade em busca de quem está desprotegido. O trabalho é realizado das 18 horas à 1 hora. As equipes buscam convencer as pessoas a aceitarem acolhimento, sempre antes das madrugadas, quando as temperaturas são mais baixas.

Nos abrigos do município, os acolhidos encontram local para higiene, recebem roupas limpas, podem se alimentar e dormir em camas limpas e quentes.

Durante o dia, nas regionais, a abordagem a pessoas em situação de rua é feita pelos Centros de Referência Especializados de Assistência Social (Creas) e, nos demais horários da noite, pela Central de Encaminhamento Social (CES), que funciona 24 horas por dia e sete dias na semana.

Vagas

Para acolher a população em situação de rua, a Prefeitura conta com 1.452 vagas distribuídas em 27 unidades, próprias e parcerias. Duzentas delas, que ficam em duas casas de passagem, são vagas emergências abertas apenas nas noites em que são realizadas as ações intensificadas. O número de vagas pode ser ampliado, de acordo com a demanda.

Para as pessoas que não aceitam acolhimento e estão com pouco agasalho, as equipes da FAS distribuem cobertores. Aqueles que apresentam problemas de saúde têm atendimento especial. Além de serem monitorados constantemente pelas equipes, que já conhecem cada caso, eles são encaminhados para unidades de saúde do município.

Animais de estimação

Como acontece desde 2019, os animais de estimação também são transportados com seus tutores. Para isso, a FAS mantém em suas kombis caixas para transportar animais de até médio porte. Para esses casos, o acolhimento será feito em unidades que possuem canis.

Ajuda

A Prefeitura mantém o pedido para que a população ajude a proteger as pessoas em situação de rua. A orientação é para que entrem em contato com a Central 156, por telefone, site ou pelo aplicativo Curitiba 156, sempre que avistarem alguém nessa condição.

Informações da Prefeitura de Curitiba