Com setor de serviços em alta, Curitiba gerou 35,6 mil empregos de janeiro a agosto

Curitiba gerou 35.591 empregos com carteira assinada de janeiro a agosto de 2022, de acordo com os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados nesta quinta-feira (29) pelo Ministério do Trabalho. A cidade foi a quinta do país em número de empregos gerados, atrás de São Paulo (166.559), Rio de Janeiro (82.177), Brasília (36.775) e Belo Horizonte (36.775).

O saldo nos oito meses foi gerado por um total de 361.121 contratações e 325.530 demissões no período. Em agosto, o saldo foi positivo de 771 vagas.

No acumulado do ano, o setor de serviços foi o campeão de vagas, com a abertura de 30.652 novos empregos. O comércio veio em segundo lugar, com 2.167, a indústria em terceiro, com 1.824, seguida por construção, com 895, e agropecuária, com 53 novas vagas. Curitiba gerou, sozinha, 29% das vagas do Paraná.

“Estamos mantendo o ritmo de aceleração da economia e os esforços têm dado frutos na forma de carteira assinada para o trabalhador curitibano”, diz o prefeito Rafael Greca.

A Prefeitura vem desenvolvendo, desde o período mais intenso da pandemia, uma série de ações para estimular a economia e acelerar o mercado de trabalho, como capacitação de trabalhadores e empreendedores, além de melhoria no ambiente de negócios.

Entre as ações, destaque para os Liceus de Ofícios, da Fundação de Ação Social (FAS), que promovem cursos e preparam para o mercado de trabalho quem está em busca de qualificação.

Já os Espaços Empreendedor da Agência Curitiba dão suporte a microempresários e microempreendedores individuais. O Programa 1º Empregotech 2022, por sua vez, oferece qualificação na área de tecnologia com aulas e oficinas.

O Fab Lab Cajuru, laboratório de fabricação por prototipagem, por sua vez, vem gerando novas oportunidades para estudantes, empresas e comunidade, que podem compartilhar conhecimentos e colocar em prática ideias inovadoras.

Para melhorar o ambiente de negócios e facilitar investimentos, a Prefeitura ampliou, em março de 2022, o número de atividades incluídas na lei de liberdade econômica de 545 para 606. A lei prevê a dispensa de alguns alvarás para atividades de baixo risco, facilitando o processo.

O município também prorrogou o prazo de pagamento de impostos e promoveu um programa de refinanciamento, o Refic-Covid-19, que permitiu o parcelamento de débitos em até 36 meses, entre outras atividades.