Créditos adquiridos no vale-transporte antes do reajuste terão tarifa a R$ 4,50 por 30 dias

A tarifa de ônibus ficará “congelada” a R$ 4,50 por 30 dias nos créditos comprados por meio de cartão vale-transporte até 28 de fevereiro. Nesta terça-feira (1º), a passagem para as linhas de Curitiba passou de R$ 4,50 para R$ 5,50, no primeiro reajuste desde 2019.

O vale-transporte, que é carregado pelo empregador, representa a maior parte das passagens compradas na capital, com 47% de participação, seguido por dinheiro (24%) e cartão comum (usuário), com 15%.

O usuário que tinha 100 passagens a R$ 4,50 no seu vale-transporte até 28 de fevereiro, por exemplo, permanecerá com o mesmo número de bilhetes, com carência de 30 dias. Após esse período, o estoque passa a ser contado com passagem a R$ 5,50. Ou seja, de 100 passagens, o cartão terá 81 bilhetes.

O valor de R$ 5,50, no entanto, vale para novas recargas tanto para o cartão comum (carregado pelo usuário) como o vale-transporte (pelo empregador) a partir desta terça-feira (1º). Saiba como carregar seus créditos.

Vale lembrar que todos os créditos que venceram durante a pandemia terão mais um ano de validade a partir de 28 de fevereiro.

Tarifa Reduzida

A Prefeitura vai manter a prática da tarifa reduzida fora do horário de pico em algumas linhas. As 11 linhas de ônibus que operam nesse modelo passaram a ter tarifa a R$ 4,50 a partir da zero hora desta terça-feira. O reajuste é de R$ 1. O valor é válido das 9h às 11h e das 14h às 16h e para pagamento exclusivo com o cartão-transporte usuário.

As linhas que adotam o sistema são 212 Solar, 213 São João, 214 Tingui, 265 Ahú-Los Angeles, 461 Santa Bárbara, 965 São Bernardo, 661 V. Lindóia, 662 Dom Ático, 666 Novo Mundo, 860 V. Sandra e 870 São Braz.

Informações da Prefeitura de Curitiba