Crianças de 3 e 4 anos recebem a primeira dose da vacina contra a covid-19

Crianças que completam 4 anos até o fim de 2022 e não são imunossuprimidas começaram a ser vacinadas contra a covid-19 nesta segunda-feira (25/7). Luigi Martino Havrelhuk Percegona, 4 anos, foi o primeiro a chegar na Unidade de Saúde Vila Guaíra.

Acompanhado da mãe, a economista Josiane Havrelhuk Percegona, e do irmão Alexandre (2 anos), que foi tomar a vacina da gripe, Luigi mostrou que não tem medo de agulhas.

“A vacinação dos dois sempre está em dia, desde que nasceram. É primordial cuidar da saúde deles e o Luigi tem tosse alérgica, então fico muito atenta sempre. Ele acostumou a usar a máscara e até hoje vai para a aula com ela”, explicou Josiane.

Os dois meninos estão matriculados no Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI) Santa Schier, no Guaíra. “Mesmo não sendo mais obrigatório, e sim recomendado, eu levo os dois com máscara. O Luigi usa tranquilo, o pequeno às vezes mexe, mas pelo menos não tira”, contou a mãe.

Débora de Souza chegou em seguida para vacinar o filho Luan Miguel contra o coronavírus. “Eles nunca pegaram covid, mas o cuidado com a saúde deles é necessário”, pontuou Débora. O filho mais velho, Filipe, de 8 anos, também acompanhou a mãe e o irmão na unidade de saúde, mas já tomou duas doses anteriormente.

Nesta semana, a Prefeitura de Curitiba vai aplicar a 1ª dose da vacina contra covid-19 para mais curitibinhas de 3 e 4 anos. O atendimento é escalonado (veja o cronograma abaixo) e começou na sexta (22/7) pelas crianças imunossuprimidas.

As 44,5 mil crianças de 3 e 4 anos receberão doses da Coronavac, recomendada pela Anvisa e pelo Ministério da Saúde para esse público. A imunização será em duas doses, com intervalo de 28 dias entre as aplicações. 

Curitiba incluiu a população de 3 e 4 anos na imunização seguindo orientação do Ministério da Saúde (MS) e seu Plano Nacional de Operacionalização (PNO) da Vacinação contra a covid-19. “Estamos preparando essa nova etapa de forma organizada e com o compromisso de manter asseguradas as doses a todos que procurarem pelo imunizante, como tem sido feito desde o início da vacinação”, explicou a secretária municipal da Saúde, Beatriz Battistella.

A vacinação é realizada de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h.

Cronograma da vacinação de 25 a 29 de julho

1ª dose contra a covid-19 para crianças

25/7 (segunda-feira) – Crianças nascidas entre julho e setembro de 2017

26/7 (terça-feira) – Crianças nascidas entre outubro e dezembro de 2017

27/7 (quarta-feira) – Crianças nascidas entre janeiro e março de 2018

28/7 (quinta-feira) – Crianças nascidas entre abril e agosto de 2018

29/7 (sexta-feira) – Crianças nascidas entre setembro e dezembro de 2018

2º Reforço para pessoas com 40 anos ou mais

(4ª dose para quem recebeu Coronavac, AstraZeneca ou Pfizer no esquema vacinal inicial; 3º dose para quem recebeu Janssen)

25/7 (segunda-feira) – Pessoas nascidas até o 1º semestre de 1981, vacinadas com 1ª reforço até 27/3

26/7 (terça-feira) – Pessoas nascidas até o 2º semestre de1981, vacinadas com 1ª reforço até 28/3

27/7 (quarta-feira) – Pessoas nascidas até 27 de julho de 1982, vacinadas com 1ª reforço até 29/3

*Pessoas que forem completando 40 anos a partir de 28/7 também poderão procurar na sequência a vacinação do 2ª reforço, desde que tenham o intervalo de 120 dias do 1ª reforço.

Repescagem contínua

– 1ª dose para todos com 5 anos ou mais e para crianças de 3 e 4 anos imunossuprimidas;

– 2ª dose para todos com 5 anos ou mais

– 1º reforço para todos com 12 anos ou mais

– 2º reforço para imunossuprimidos com 12 anos ou mais; profissionais de saúde; pessoas de 18 a 39 anos vacinadas na 1ª dose com Janssen; ou pessoas vacinadas com qualquer marca na primeira dose e que tenham nascido até 1980.

– 3º reforço para pessoas com 60 anos ou mais, com imunossupressão, e para pessoas com 50 anos ou mais vacinadas com Janssen na 1ª dose do início do esquema vacinal.

Importante: Para receber a 2ª dose ou as doses de reforço é necessário ter completado o intervalo mínimo recomendado, que varia conforme a marca do imunizante já recebido e o grupo que a pessoa faz parte (leia mais sobre os esquemas vacinais aqui).

As informações são da Prefeitura Municipal de Curitiba.