Curitiba é sede do Congresso Brasileiro de Insuficiência Cardíaca, que também ocorre em formato digital

Entre os dias 30 de junho e 2 de julho, Curitiba recebe o Congresso Brasileiro de Insuficiência Cardíaca DEIC 2022, promovido pelo Departamento de Insuficiência Cardíaca da Sociedade Brasileira de Cardiologia. Serão mais de 300 palestras que reunirão especialistas renomados da Cardiologia nacional e internacional para debater os principais avanços relacionados à insuficiência cardíaca.

Pela primeira vez, o congresso ocorrerá, simultaneamente, de maneira digital e presencial, no Expo Unimed Curitiba, permitindo a escolha do formato pelo participante. “Estamos em planejamento constante, buscando as melhores estratégias para que possamos atender os públicos que passam a se dividir entre o presencial e o virtual. Isso tem um enorme impacto, pois colegas que antes não acessavam nosso conteúdo por diferentes impedimentos, podem agora interagir. Nossa missão de atualizar os cardiologistas para o melhor tratamento da insuficiência cardíaca fica ainda mais ampla e diversificada”, afirma o cardiologista Dr. Miguel Morita, presidente do Congresso DEIC 2022.

Um dos principais temas discutidos será o xenotransplante, denominação para o transplante de órgãos feito entre diferentes espécies. Em janeiro deste ano, ocorreu nos Estados Unidos um transplante inédito de um coração de porco geneticamente modificado em um homem de 57 anos. Embora o paciente tenha falecido dois meses depois – as causas da morte ainda estão sendo estudadas e podem estar relacionadas à contaminação com um vírus suíno –, o caso representa um marco para a história do transplante cardíaco e abre perspectivas para o tratamento de pacientes com a forma grave da insuficiência cardíaca. “O transplante cardíaco traz um grande impacto na vida do paciente, mas a disponibilidade de órgãos é limitada. Transplantar um coração a partir de outra espécie é uma ideia antiga, mas é a primeira vez que foi realizado com sucesso, ainda que por pouco tempo. Isso abre novos horizontes e vamos discutir o que representa para a medicina no congresso em Curitiba”, observa Dr. Morita.

No Brasil, o transplante de coração ainda tem carência de doações. Segundo a Associação Brasileira de Transplantes de Órgãos (ABTO), existe uma estimativa anual da necessidade de 1.681 transplantes cardíacos, mas são realizados, em média, somente 332 procedimentos por ano.

Principal causa de hospitalizações por doenças cardiovasculares

Segundo o relatório Estatística Cardiovascular – Brasil 2021, publicado nos Arquivos Brasileiros de Cardiologia, entre 2008 e 2019 ocorreram mais de 3 milhões de internações no SUS devido à insuficiência cardíaca, o que representa um terço das hospitalizações devido a doenças cardiovasculares.

A insuficiência cardíaca, como a própria denominação sugere, é a falta de eficiência do coração em bombear o sangue pelo organismo, que pode ser causada por cardiopatias, hipertensão, diabetes, doenças renais, tratamentos oncológicos, infarto e outros problemas capazes de afetar o funcionamento do músculo cardíaco.

As palestras, mesas-redondas e discussões de casos clínicos colocarão em pauta o diagnóstico, tratamento e prognóstico de várias dessas doenças como amiloidose cardíaca, miocardiopatias, síndrome cardiorrenal, cardio-oncologia, cardiopatias congênitas, miocardite, diabetes, doença de Chagas, fibrilação atrial, dispositivos de assistência ventricular (coração artificial), COVID e coração, entre outros.

Em paralelo, os participantes ainda poderão se inscrever no curso prático SAVIC – Suporte Avançado de Vida em Insuficiência Cardíaca, no Hands On EMCO, que abordará a fisiologia cardiovascular à beira-leito aplicado à ECMO (Oxigenação por membrana extracorporal); e no Hands On Ultrassom, uma oficina prática do uso do ultrassom cardiopulmonar em pacientes com insuficiência cardíaca.

A programação completa e as inscrições estão disponíveis no site www.deic2022.com.br. Outras informações podem ser encontradas no Facebook e Instagram @sbcdeic e no Twitter @DEIC_SBC.