Dívida de namorado pode ter sido causa da morte de idosa chefe do tráfico no Sítio Cercado

Foi identificada a idosa de 69 anos morta após ser baleada na frente da própria casa na noite desta terça-feira (27) no bairro Sítio Cercado, em Curitiba. Valdirene de Oliveira Pirrotti comandava o tráfico na região e pode ter morrido por causa de uma dívida que não era dela.

Testemunhas do homicídio afirmaram à polícia que dois homens encapuzados chegaram em um veículo e atiraram diversas vezes contra a vítima. Os suspeitos fugiram.

Quando o socorro chegou, Valdirene estava ainda com vida, mas não resistiu.

Idosa teria morrido por dívida que não era dela

Segundo a Polícia Civil, a idosa usava tornozeleira eletrônica. Ela e a família eram conhecidos por praticar diversos crimes na região e chefiar o tráfico na região do Bairro Alto, Cajuru e alguns municípios da Região Metropolitana de Curitiba.

O atual namorado de Valdirene também era envolvido em tráfico de drogas. A suspeita é que o crime tenha acontecido porque o homem não pagou uma dívida de R$ 1000. Os assassinos foram até o endereço em busca dele. Ao encontrar a idosa, eles a mataram sem saber que era ela.

Família do crime

Valdirene já perdeu dois filhos que tinham passagens pela polícia: Marcelo e Magno Pirotti. Outros filhos dela também estão envolvidos em crimes. Um deles é Marcos Antônio Pirrotti, que já foi alvo de operações pelo crime de tráfico de drogas. Ele responde em liberdade. 

O outro é Marcio Pirrotti, um dos responsáveis pela fuga em massa da Penitenciária Estadual de Piraquara em 2018. Marcio está preso em um presídio federal. 

A Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa vai investigar o caso de Valdirene e busca pelos autores do crime. Segundo a polícia, há um temor de consequências entre os criminosos pela morte da chefe do tráfico.

Colaboração Douglas Bandeira/Rede Massa