Em Curitiba, sistema de monitoramento de bandeiras da covid-19 atinge menor pontuação

Lançado em junho de 2020 pela Secretaria Municipal da Saúde (SMS) de Curitiba, o sistema de monitoramento por bandeiras, que demonstra por meio de cores o nível da pandemia do coronavírus na cidade e a situação das restrições de funcionamento das atividades, atingiu 1,35 nesta semana, que é a menor pontuação desde o lançamento do monitoramento.

Os dados são da semana de 4 a 10 de outubro, e foram avaliados pelo Comitê de Técnica e Ética Médica em reunião nesta quinta-feira (11).

Desde 7 de julho, Curitiba segue no amarelo, primeiro nível que indica estado de alerta e que a situação está fora da normalidade, mas os indicadores seguem apresentando melhora gradativa. Esse é o maior período que a cidade se mantém nesse cenário, são 127 dias.

“Hoje é um dia de comemoração no Comitê e, essa ferramenta foi essencial para chegarmos até aqui sem o colapso do sistema de saúde. Embora em meio a muitas críticas, foram as decisões difíceis que tomamos longo desse período que nos trouxeram até aqui”, comemora a secretária municipal da Saúde, Márcia Huçulak.

Análise do cenário

A média móvel de mortes por data de divulgação apresentou queda de 46,7% nos últimos 14 dias. Nos casos ativos, a redução foi de 22,1%. O número indica a quantidade de pessoas na fase ativa da doença que acompanha a baixa do Rt, dado que indica quantidade de novos contaminados por cada pessoa na fase ativa da doença. O número está 0,69, abaixo de 1, condição que demostra desaceleração da pandemia.

As taxas de ocupação de leitos exclusivos para covid-19 também mostram cenário mais positivo, a taxa de ocupação dos 160 leitos de UTI SUS exclusivos para covid-19 está em 40%, já dos 137 leitos de enfermarias SUS covid-19 está em 47%. A cidade, que chegou a marca de mais de mil leitos SUS ativos, atualmente tem 297 leitos ativos com ocupação abaixo de 50%. 

O painel

O programa conta com um painel com três níveis de cores: amarelo (alerta), laranja (risco médio) e vermelho (risco alto). Os dados são alimentados diariamente e a bandeira é divulgada uma vez por semana, indicando a pontuação dos indicadores.

“Nunca fomos levianos nas nossas decisões, pelo contrário, todas as medidas foram fundamentadas pela ciência e pela epidemiologia. Digo mais uma vez que essa foi uma decisão muito acertada”, disse Márcia.

O painel é composto por nove indicadores divididos em dois grupos: propagação da doença e capacidade de atendimento do serviço de saúde. O segundo grupo tem maior peso na pontuação final.

Níveis de alerta

Cada nível de cor corresponde às medidas que devem ser adotadas pelo Protocolo de Responsabilidade Sanitária e Social, mais restritivas ou menos. 

•    Amarela: nível 1 – sinal de alerta constante e demonstra que a situação está fora da normalidade. Nesse estágio, todos os estabelecimentos que estiverem funcionando devem adotar as medidas de precaução anunciadas e orientadas, cumprir todas as orientações do protocolo de responsabilidade sanitária e social. 

•    Laranja: nível 2 – risco médio de alerta, onde haverá restrições a funcionamento de serviços e do comércio e áreas que propiciam a aglomeração de pessoas. 

•    Vermelha: nível 3 – risco alto e de alerta total, havendo restrição de circulação de pessoas, permitindo apenas o funcionamento dos serviços essenciais.

Informações da Prefeitura de Curitiba