Expedição Filhas do Paraná percorre cidades e aborda violência contra a mulher

A Confraria Filhas do Vento e da Liberdade, de Curitiba, formada por motociclistas mulheres, vai percorrer sobre duas rodas toda a divisa do Paraná com São Paulo de 15 a 21 de agosto. Com apoio da Honda Blokton, o projeto intitulado “Expedição Filhas do Paraná” levará na garupa a conscientização pelo fim da violência contra a mulher, empunhando a bandeira do Agosto Lilás, mês e cor que representam a campanha nacional de combate a esse tipo de crime.

A ação reedita a iniciativa realizada em 2021, quando integrantes do grupo rodaram cerca de 3 mil quilômetros visitando municípios localizados próximos às divisas com São Paulo, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul, além de Argentina e Paraguai.

Uma atitude pioneira feita por mulheres, que também serviu para traçar uma rota para o mototurismo no estado, batizada de “As 5 Fronteiras do Paraná”. Naquela oportunidade, a confraria aproveitou o movimento mundial do Outubro Rosa para promover a prevenção e o diagnóstico precoce do câncer de mama.

Inicialmente, a segunda expedição contará com cinco motociclistas, que ganharão a companhia de outras duas durante o percurso. Elas vão cair na estrada após uma largada simbólica em frente a Honda Blokton Hauer, em Curitiba.

Diário da ação nas redes sociais

A princípio, o trajeto terá paradas em oito municípios na divisa com São Paulo. A atividade poderá ser acompanhada diariamente em posts no Instagram e Facebook das Filhas do Vento e da Liberdade e também pelo Instagram da Blokton.

As cidades são (todas no Norte Pioneiro): Tomazina, Siqueira Campos, Joaquim Távora, Carlópolis, Ribeirão Claro, Jacarezinho, Bandeirantes e Cornélio Procópio. Já as outras quatro fronteiras da rota de mototurismo serão feitas em expedições futuras.

O intuito é sensibilizar a sociedade na busca de apoio às mulheres vítimas de agressões, bem como chamar a atenção para investimentos na saúde mental delas e medidas preventivas e políticas para as populações mais vulneráveis à violência familiar e doméstica.

Saúde, turismo e conscientização

A iniciativa conta com motociclistas que saem das suas casas para levantar bandeiras importantes em relação à mulher. “Sozinha, a mulher tem poder, juntas elas causam impactam”, diz Telma Crummenauer, uma das fundadoras da Confraria Filhas do Vento e da Liberdade e idealizadora da Expedição Filhas do Paraná.

A frase virou um lema para as ações do grupo, servindo de combustível para várias realizações, como a Expedição Filhas do Paraná.

Plantio de árvores e cápsulas do tempo

Durante a passagem pelas cidades, as motociclistas fazem o plantio de árvores ipês e visitam entidades sociais e representativas. Na expedição 2022, haverá uma novidade: a trupe vai enterrar cápsulas do tempo em cada cidade do trecho. Nos recipientes, cartas escritas por mulheres das localidades, que serão abertas nas próximas décadas. O conteúdo abordará os anseios, as conquistas e as lutas dessas pessoas.

“Queremos mostrar que elas não estão sozinhas e que podem mudar o rumo das suas histórias e se tornarem heroínas das suas vidas”, observa Telma.