Guardas municipais de Curitiba declaram estado de greve; categoria pede melhorias no plano de carreira

Os guardas municipais de Curitiba declararam estado de greve nesta terça-feira (8). A categoria reivindica um melhor plano de carreira e aguarda novas reuniões com a prefeitura da capital.

Segundo o Sindicato dos Servidores da Guarda Municipal de Curitiba (SIGMUC), o estado de greve foi definido em assembleia após reunião com a Secretaria Municipal de Administração e Gestão de Pessoal (SMAP). Os servidores não aceitaram o plano proposto.

Nesta quarta-feira (9), o trabalho da guarda segue normal. O sindicato diz que, se não haver tratativas para resolução do problema, a categoria pode definir uma data para parar as atividades ou promover uma operação “padrão tartaruga”.

Reinvindicações

A presidente do SIGMUC, Rejane Soldani Sobreiro, afirma que os guardas municipais estão há seis anos com o plano de carreira congelado, sem aumento real do salário, e que o piso salarial dos servidores é um dos menores pisos das carreiras de nível médio da Prefeitura de Curitiba.

Na reunião com os servidores, a SMAP teria apresentado uma proposta que aplica ao atual plano de carreira da Guarda Municipal o mesmo mecanismo de crescimento das outras carreiras do serviço público municipal. De acordo com o SIGMUC, desta forma o plano teria crescimento a cada 8 anos, restrito a 20% da categoria no caso de crescimento por desempenho e 5% por graduação.

“Quando acreditávamos que a atual gestão iria sentar para debater o descongelamento do plano de carreira e melhorias nas condições de trabalho, fomos surpreendidos com esta medida, que na prática destruirá nossa carreira”, diz Rejane Sobreiro.

A categoria esteve na Câmara Municipal de Curitiba nesta terça (8) para repassar a situação aos parlamentares. O vereador Tico Kuzma (Pros) ficou responsável para intermediar as tratativas dos dois lados.

O que diz a Prefeitura de Curitiba

A administração municipal informou que não foi notificada sobre o estado de greve e que os serviços e atendimentos seguem normais. Já a SMAP diz que as propostas do novo plano de carreira dos guardas municipais não foram ainda encaminhadas ao Legislativo.

Veja a nota completa:

A Secretaria de Administração, Gestão de Pessoal e Tecnologia da Informação (Smap) informa que não foi notificada sobre o estado de greve dos servidores da Guarda Municipal.

O projeto para o Plano de Cargos, Carreira e Remuneração dos servidores da Guarda Municipal ainda não foi encaminhado ao Legislativo.

Nesta segunda-feira (7/11) houve reunião para tratar de linhas gerais dos projetos que serão encaminhados à Câmara Municipal, mas a carreira de Guarda Municipal tem particularidades que serão detalhadas no projeto de lei.

Até o momento o único projeto encaminhado ao Legislativo foi o que compreende os servidores vinculados à Lei 11.000/2004, que abrange 125 cargos dos grupos ocupacionais básico, médio e superior.

A Smap ressalta que a remuneração inicial dos guardas municipais da capital é de R$ 3.403,74, uma vez que todos recebem 50% de gratificação sobre o vencimento básico. A remuneração dos guardas é maior do que a dos profissionais ligados às carreiras de nível médio, que têm vencimento básico inicial de R$ 1.991,66.

A remuneração inicial dos guardas de Curitiba é maior do que a dos guardas de municípios como Pinhais, São José dos Pinhais e Colombo.