Hospital Pequeno Príncipe restringe atendimento de crianças devido lotação máxima de Pronto Atendimento

O Hospital Pequeno Príncipe divulgou uma nota, informando que, na manhã desta quinta-feira (28), o Pronto Atendimento (PA) que recebe pacientes oriundos do Sistema Único de Saúde (SUS) atingiu a capacidade máxima, ou seja, está com 100% de lotação. Segundo o comunicado, a instituição está trabalhando em um plano de contingência.

Devido à lotação, o atendimento está restringido. “Diante da alta procura por atendimento, o Pequeno Príncipe reforça que o fluxo determinado pelo SUS é de que as famílias busquem a Unidade Básica de Saúde mais próxima quando os riscos à saúde do paciente não são de urgência e/ou emergência. Se for necessário, a própria UBS fará o encaminhamento ao Hospital”, orienta a nota.

Ao todo, o Hospital Pequeno Príncipe possui 384 leitos de internação. No Pronto Atendimento do SUS, são 10 consultórios para atendimento, 6 leitos de observação, 1 leito para isolamento e mais 2 leitos exclusivos para emergências. Portanto, a ocupação de 100% faz referência aos 9 leitos do SUS.

O Pequeno Príncipe reitera que não é uma unidade de busca direta pela população. Como retaguarda para Curitiba e Região Metropolitana, o atendimento de emergência, realizado no Pronto Atendimento, é destinado aos casos de maior gravidade e aos pacientes que necessitam de hospitalização.

Grandes oscilações de temperaturas e a chegada do outono são alguns dos fatores que colaboram para o aumento de doenças respiratórias nesta época do ano. Neste ano, o volume está intenso, o que causa uma procura muito acima da média aos serviços de saúde em Curitiba.

Infecções das vias aéreas superiores, nasofaringite, amigdalite, bronquite aguda, além da tosse estão entre as situações mais recorrentes na emergência da instituição.