Júri de mulher que confessou matar marido começa nesta segunda; ré continua recebendo pensão da vítima

Começou na manhã desta segunda-feira (7), o júri popular de Franciele Carolina Moscaleski, no Tribunal do Júri de Curitiba. Ela é ré confessa da morte do marido e tenente da Polícia Militar (PM), Cássio Ormond de Araújo.

Cerca de dez testemunhas devem ser ouvidas nesta segunda. Depois disso, começam os debates entre defesa, promotoria e acusação.

O crime aconteceu em 2017, no apartamento do casal, localizado no Tarumã. Na ocasião, Cássio foi morto por um tiro na cabeça.

No início da investigação, Franciele disse que o tenente havia tirado a própria vida. No entanto, com a continuação do trabalho da polícia, a mulher confessou o crime e alegou que foi um disparo acidental.

Mulher continuou recebendo pensão

Após a morte de Cássio, Franciele começou a receber uma pensão do Estado no valor de R$ 9.294,77. Desde fevereiro de 2018, o valor recebido já soma mais de R$ 500 mil.

Segundo o advogado Caio Percival, mesmo que ela tenha confessado a morte do marido e seja considerada culpada, o benefício está previsto por lei.