Matrícula escolar em 2023: confira sete dicas para escolher a melhor escola para os filhos 

O ano letivo de 2022 está perto do fim e é neste momento que os responsáveis começam a pensar nas matrículas para os estudantes no ano de 2023. Para algumas pessoas, esta decisão pode envolver diferentes questões, e várias dúvidas surgem para que se escolha qual a escola mais adequada.

Na opinião da pedagoga Carolina Paschoal, da Escola Pedro Apóstolo, de Curitiba, a decisão sobre qual escola optar para matricular um estudante é desafiadora. “Confiar a uma instituição de ensino a guarda de filhos por algumas horas diárias requer estar atento a pontos bastante importantes. O desenvolvimento da criança e do adolescente como ser humano e cidadão, além do seu futuro profissional, depende dos direcionamentos pedagógicos experienciados ao longo da vida escolar”, afirma. 

Por isso, a pedagoga cita sete dicas para que os pais verifiquem se a escolha do estabelecimento de ensino é a mais adequada às necessidades dos estudantes e para as expectativas da família. 

1 – Ter empatia 

Para a pedagoga, uma das primeiras etapas para decidir sobre a escola dos filhos é que a família sinta empatia e acolhimento pelas pessoas que trabalham na instituição desde o primeiro contato. Ou seja, é importante que os estudantes e os pais se sintam bem naquela escola. “Os profissionais que gostam do seu ofício deixam transparecer este sentimento em uma simples visita guiada ou na entrevista que é realizada por algumas escolas para poder conhecer a família”, afirma.  

2 – Confira se a documentação está em dia 

Ainda que a estrutura e a propaganda de uma escola chamem atenção, os pais precisam verificar se documentos básicos para o seu funcionamento estão em conformidade com os órgãos competentes. Entre esses documentos estão: Alvará de funcionamento, Licença da Vigilância Sanitária e liberação de funcionamento por parte do Corpo de Bombeiros, Proposta Política Pedagógica, Regimento Escolar e credenciamento da instituição junto ao Núcleo Regional de Educação.  “Os responsáveis pelos alunos não podem ter receio ou vergonha, e têm o direito de conferir esses itens. Em caso de dúvida, podem ligar para os órgãos públicos e conferir se a instituição está em dia com sua documentação”, explica. 

3 – Veja a proposta pedagógica 

Os familiares já devem ter ouvido falar no termo proposta pedagógica. Prevista na Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB), trata-se de um conjunto de normas que norteia o ensino, o currículo e as atividades das escolas. Cada instituição de ensino tem a sua, como se fosse uma identidade que garante sua autonomia. Por isso, os pais podem e devem ter acesso a esse documento antes de decidir pela matrícula.

4 – Certifique-se da formação dos professores 

A qualidade do ensino passa pela formação adequada dos profissionais, em especial dos professores que vão ministrar as aulas, sejam eles professores regentes ou especialistas em alguma área, como Matemática, História e Geografia. A LDB admite como formação necessária para os profissionais os cursos de licenciatura para a educação básica. A formação mínima para atuar na educação infantil e nos cinco primeiros anos do Ensino Fundamental é a modalidade Normal do Ensino Médio.

5 – Observe a utilização da estrutura escolar 

Ter espaços amplos e equipados com aparelhos de última geração não é tudo o que se necessita da estrutura física da escola. Para Carolina, a utilização e o acesso desses espaços e equipamentos devem ser amplos para todos os estudantes. “Na visita à instituição, uma boa dica é observar se os alunos estão nestes espaços ou apenas na sala de aula. Além disso, escola com tudo em seu lugar, totalmente organizada, não é necessariamente um bom sinal. Esses ambientes precisam ter a impressão de uso e prática educacional”, afirma. 

6 – Verifique as condições de limpeza 

Assim como a instituição precisa da liberação da Vigilância Sanitária para seu funcionamento, é fundamental verificar se, no dia a dia, esta escola segue o que é necessário para manter a higiene dos ambientes. Afinal, isso significa prezar pela saúde dos estudantes e de todas as pessoas que circulam pelo estabelecimento. “Observe se cozinha, refeitório e banheiros estão com revisão de limpeza constante através de sinalização de reposição nos equipamentos e do relatório de limpeza diário, além de observar se os profissionais utilizam equipamentos para manipulação destes ambientes”, recomenda. 

7 – Leve a criança na visita 

É fundamental que a escola seja observada segundo a percepção das crianças. Elas poderão dizer muito sobre o ambiente. Observe se os profissionais cumprimentam ou se os ambientes em que a criança chega chamam sua atenção. “É claro que a escolha da escola é uma responsabilidade dos responsáveis, mas quem estará lá todos os dias será a criança”, diz a pedagoga.