Motorista volta a depor em caso que investiga morte de gerente de vendas

Nesta terça-feira (28) o motorista de aplicativo que buscou Thays Rocha Leite no dia 28 de maio, dia em que o gerente Walter Luiz Mariano Machado foi morto com uma facada no pescoço, voltou a prestar depoimento na Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), em Curitiba.

Essa é a segunda vez que o homem comparece ao local. Na primeira vez em que foi até a DHPP, no dia 22 de junho, o delegado Tito Barichello afirmou que não concordava com alguns pontos da versão do motorista. Ele questionou o fato de Thays dizer que entrou no carro com a faca enquanto o motorista disse não ter visto o objeto.

Nesta terça, o depoimento durou cerca de 50 minutos. Mais uma vez, o homem disse que não conhecia Thays. Outro ponto abordado foi se ele teria recebido dinheiro dela, pois ele havia dito que recebeu R$ 20, mas ela disse que não o pagou. Ao ser questionado sobre o local em que estava, o motorista disse que estava estacionado esperando uma nova corrida.

Na perícia, os investigadores encontraram vestígios de sangue na porta do banco do passageiro. O motorista disse que não viu nenhuma marca antes.

As investigações continuam.

Leia mais