No Tatuquara, artistas de grafite homenageiam profissionais da saúde

Arte, terapia e saúde são atividades que se complementam. No Tatuquara elas estão reunidas em grafites em homenagem aos profissionais da linha de frente no combate à covid-19. 

Os trabalhos do projeto Sonhar é Preciso, coordenados pela artista Eloá Cruz e apoiados pela Fundação Cultural de Curitiba por meio do Núcleo Regional, podem ser conferidos no muro da Casa Irmã Dulce (Unidade de Estabilização Psiquiátrica) e em um painel na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Taturara. Ambos equipamentos da Prefeitura de Curitiba que desempenharam funções estratégicas durante a pandemia.

“Essa obra significa eu dando um pouco de mim, assim como eles dão o máximo deles todos os dias. É uma troca em que me entreguei, representando o que eles fazem. Espero que se sintam acolhidos”, fala Eloá. 

A artista mora no Tatuquara e decidiu trabalhar sua especialidade, o grafite, dentro do bairro. Para o painel da UPA, retratou uma profissional da saúde segurando uma flor. A imagem representa a vida e também o cuidado que os profissionais da saúde tiveram durante o período da pandemia.

“É uma forma de carinho e acolhimento por tudo que nós passamos”, afirma Luciane Kron, coordenadora de Enfermagem na UPA Tatuquara. 

A UPA, que completa cinco anos nesta quinta-feira (26/5), chegou a ter 20 leitos de UTI exclusivos para pacientes de covid-19, no auge da pandemia. “Depois da tempestade, é muito tocante ver essa arte”, completa Luciane.

Homenagem a Nise da Silveira 

Para pintar o muro da Casa Irmã Dulce, Eloá convidou outros artistas locais. O trabalho feito de forma coletiva resultou em um muro de esquina colorido. Além de Eloá, assinam obras no projeto os artistas Istha, Toska, Ysto, Seth e Julie (nomes artísticos).

Na obra, o destaque é a figura de Nise da Silveira, médica que revolucionou o tratamento psiquiátrico no Brasil. “Conheci a história da Nise porque acredito muito na arte como terapia, e gosto de homenagear pessoas que tenham a ver com a minha forma de ver a vida”, conta Eloá. 

Os artistas também trabalharam com palavras sugeridas pelos pacientes atendidos na unidade, resultando em frases como “Um amor verdadeiro nunca acaba.”

Incentivo à cultura

O projeto Sonhar é Preciso foi feito com recursos da Lei de Incentivo à Cultura da Prefeitura de Curitiba e é o primeiro trabalho de Eloá realizado por meio do edital. Ela tem ainda outras criações já aprovadas e que serão executadas no decorrer do ano.

A chefe de núcleo da FCC no Tatuquara, Norma Calado, afirma que a arte urbana no Tatuquara, produzida por uma artista local, manifesta um sentimento de gratidão. “Diante de tudo que vivemos nos últimos anos, nada como a arte para demonstrar nosso agradecimento por essa equipe que esteve à frente da batalha contra a covid-19. A arte expressa todos esses sentimentos e sensibiliza todos nós”, afirmou Norma.

Ela explica que há três anos tem desenvolvido uma aproximação com o movimento Hip-Hop no Tatuquara. “Temos total interesse em mostrar esse caminho, porque queremos trabalhar o conceito da arte urbana e mostrar que não é arte de desocupados, é uma forma de expressão”, diz Norma.

As informações são da Prefeitura Municipal de Curitiba.