Operação do Gaeco busca PMs envolvidos em assaltos a bancos e lojas

Nesta quinta-feira (3), o Ministério Público do Paraná, por meio do Núcleo de Ponta Grossa do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), cumpre seis mandados de busca e apreensão na capital e em cidades da Região Metropolitana de Curitiba, no âmbito da Operação Holandês.

A ação é voltada a desarticular organização criminosa armada responsável por furtos e arrombamentos de bancos e lojas no Paraná e em Santa Catarina, com o uso de explosivos e maçaricos. Um policial militar e um ex-PM estão entre os investigados.

A investigação teve início em abril de 2019, após uma tentativa de furto a uma agência bancária em Carambeí, nos Campos Gerais do estado – cidade fundada por imigrantes holandeses. Na ocasião, apesar de terem arrombado o cofre do banco, os criminosos não conseguiram levar o dinheiro e deixaram pistas que levaram à identificação dos agentes da Polícia Militar envolvidos.

Um dos policiais já possui condenação pela prática de outros crimes graves, tendo sido excluído da corporação. O outro foi apontado como responsável por dar cobertura para o arrombamento em Carambeí.

Mais crimes

Expedidas pelo Juízo da Vara Criminal de Castro, as ordens judiciais foram cumpridas em residências de alguns dos investigados em Curitiba, Campo Largo e São José dos Pinhais. O MPPR busca reunir mais provas, relacionadas a outros membros da organização e a outros crimes cometidos pelo grupo.