PM diz que protocolos foram corretos no caso de policial que matou a ex-mulher no Rebouças

A Polícia Militar (PM) divulgou uma nota onde afirma que as equipes policiais agiram seguindo os procotolos no caso envolvendo o soldado Dyegho Henrique Almeida da Silva. O homem matou a ex-mulher na última terça-feira (13) e depois tirou a própria vida.

O policial estava de moto e abordou a vítima, Franciele Cordeiro e Silva, quando ela estava em um carro. Ele atirou contra a mulher e ficou junto com ela no veículo por quase quatro horas.

Equipes da PM estiveram no local para fazer as negociações. A vítima, porém, não recebeu atendimento e morreu no local. Depois, Dyegho se matou.

A corporação afirma que as equipes agiram de forma correta seguindo os protocolos, isolando o local para evitar riscos para as equipes e pessoas que estavam na região e agindi para evitar que Dyegho efetuasse novos disparos.

Confira a nota completa da PM:

A Polícia Militar do Paraná ressalta que todos os protocolos foram estritamente seguidos corretamente pelas equipes policiais envolvidas desde a primeira abordagem.

A principal delas, a de evitar novos disparos e colocar em risco, tanto a equipe policial, quanto todas as pessoas que estavam passando na região ou estavam nos imóveis e comércios.

Além disso, o isolamento foi feito desde o primeiro momento e, com a chegada das equipes especializadas, ele foi ampliado para salvaguardar todos os envolvidos e não envolvidos na ocorrência.

De todo modo, sempre que há feridos ou mortos em alguma ocorrência que envolva a PMPR, é aberto um Inquérito Policial Militar para a apuração de todos os fatos e condutas realizadas.

Sobre o caso