Ruas do Alto Boqueirão ganham lombadas para a segurança dos estudantes

Atravessar a rua ficou mais seguro para as cerca de 700 crianças que estudam nos centros municipais de Educação Infantil e Educação Integral Érico Veríssimo, no Alto Boqueirão, além de pais e professores. A Rua Campina da Lagoa, bem na altura dos estabelecimentos de ensino, acaba de ganhar uma lombada.

“É um alívio porque, infelizmente, muita gente parece que não enxergava a placa de sinalização e a faixa para travessia de pedestres e simplesmente passava acelerando mesmo na hora em que as crianças desciam das vans escolares para entrar na escola. Não fosse a falta de educação no trânsito, não precisaríamos disso”, diz a diretora da escola integral, Vanessa Storrer, que mantém um projeto de educação para o trânsito na unidade.

O conteúdo é trabalhado com os alunos mais velhos, do 5º ano do Ensino Fundamental. “Mas eles também precisam ver o exemplo vindo lá de fora, com os pais e os demais motoristas dirigindo de acordo com as regras do trânsito, para reforçar esse conhecimento que estamos entregando a eles. E isso, infelizmente, nem sempre é a regra”, lamentou.

Avaliação técnica

O pedido de instalação do redutor de velocidade para a rua da escola de Vanessa foi aprovado somente depois que um detalhado estudo de viabilidade foi concluído pelo setor de engenharia de tráfego da Superintendência de Trânsito (Setran).

Foi o mesmo procedimento adotado antes de autorizar a lombada para o Colégio Estadual Gottlieb Mueller, no Boqueirão. Além delas, no primeiro trimestre também foram colocadas outras 16 lombadas na Regional Boqueirão, além de duas travessias elevadas para pedestres.  

“As pessoas precisam ter claro que uma lombada é o último recurso a que a autoridade de trânsito recorre para disciplinar o trânsito em uma via – e isso só acontece quando a travessia de pedestres se dá perto de locais de grande fluxo de pessoas, como escolas e hospitais, que realmente precisem dela”, frisa o diretor do Departamento de Projetos e Implantação da Setran, Maurício Razera.

Além disso, continua o especialista, lombadas jamais são instaladas em vias rápidas, subidas, descidas, curvas ou transversais que contraindiquem a solução. Como qualquer outro recurso de sinalização, somente podem ser instaladas pela Prefeitura.

No primeiro trimestre, em toda a cidade, a Prefeitura instalou, por meio da Setran, 42 mil metros quadrados de faixas e 4.200 placas de sinalização, 164 lombadas e 17 travessias elevadas para pedestres.

As informações são da Prefeitura Municipal de Curitiba.