Travesti que confessou morte de gerente de vendas se entrega à polícia

A travesti Thays Rocha Leite, de 27 anos, se entrega à polícia na tarde desta segunda-feira (20). Ela é suspeita de matar Walter Luiz Mariano Machado, gerente de vendas de 41 anos, e era considerada foragida da Justiça após o mandado de prisão ser expedido. Acompanhada da equipe do Tribuna da Massa, ela segue até o Tribunal do Júri para o cumprimento do mandado.

Em entrevista ao programa da Rede Massa, ela contou que os dois começaram a discutir porque Walter não queria usar preservativo. Depois ele aceitou e eles fizeram o programa. Na hora do pagamento, ele tentou fazer um pix e passar o cartão, mas não conseguiu. Segundo ela, nesse momento ele ficou alterado e começou a agredir.

“Eu achei que ele ia me matar”, disse ela em entrevista ao Tribuna. De acordo com o relato, Thays o acertou para se defender. Ela também falou que não viu a gravidade do ferimento.

Leia mais:

O caso

Walter foi encontrado morto dentro do próprio carro na madrugada do dia 28 de maio. Na noite do crime, ele estava com Thays.

Segundo o delegado Tito Barichello, Thays tentou estorquir o gerente, o que teria causado a discussão. A Polícia Civil também quer identificar os dois andarilhos que aparecem nas imagens que registraram o momento que Walter busca ajuda, e o suposto motorista de aplicativo que dá carona à Thays logo depois do crime.