Vídeo: jovem de 18 anos chama vizinha de ‘preta encardida’ durante briga em condomínio

Uma moradora de um condomínio localizado na Cidade Industrial de Curitiba denunciou ofensas racistas que vem sofrendo de uma vizinha há pelo menos um ano. A agressora, uma jovem de 18 anos, chegou a ser presa no último sábado (12) após ser gravada chamando a vítima de ‘preta encardida’.

No vídeo, registrado pelo filho da vítima, as duas mulheres discutem e a agressora, aos gritos, diz “você veio lá da p* que p*”, e “preta encardida”. Ela ainda chama o filho da moradora de “veado”. Assista:

A vítima é a professora de educação infantil Katiussia Graziella, que é casada e tem dois filhos, de 8 e 15 anos. Em entrevista à reportagem da Rede Massa | SBT, ela contou que tudo começou em agosto do ano passado, quando a jovem, chamada Kamila, era ainda menor de idade. A professora afirma ter se desentendido com uma tia da moça após uma briga entre os filhos menores delas. Nesse episódio, Kamila teria pedido para bater em Katiuscia, mas a tia a conteve.

Desde então, segundo a vítima, ela foi vítima de injúria racial todas as vezes que encontrava Kamila no condomínio, com a jovem a xingando de “neguinha feiosa” e “neguinha vagabunda”. Katiuscia não denunciou as agressões, até uma situação que ocorreu em setembro deste ano: enquanto ela andava com o marido no condomínio, Kamila cuspiu no rosto dela e a agrediu. O momento foi registrado por câmeras de segurança:

Katiuscia registrou boletim de ocorrência por causa do cuspe, agressões e ofensas racistas. Porém, na época Kamila ainda tinha 17 anos e, segundo a vítima, não aconteceu nada com ela.

Até que, no último sábado (12), a professora foi parada novamente por Kamila enquanto ela voltava da igreja com o filho adolescente. Além das ofensas racistas e homofóbicas, as imagens (vídeo acima) também mostram Katiuscia falando para a jovem que ela agora era maior de idade e que algo poderia acontecer. Em determinado momento, Kamila dá um tapa em Katiuscia, que revida. A vítima diz ainda que ela foi ameaçada de morte pela moça.

Depois da briga no condomínio, Katiussia chamou a polícia e Kamila foi presa. Após dois dias, ela foi solta depois de audiência de custódia.

A jovem deve responder pelo crime de injúria racial.