Estão abertas as inscrições para o vestibular dos povos indígenas do Paraná

A 21ª edição do Vestibular dos Povos Indígenas está com as inscrições abertas. São ofertadas 52 vagas nas sete universidades estaduais e na Universidade Federal do Paraná (UFPR) para ingresso no ano letivo de 2022. As inscrições são gratuitas e seguem até o 30 de abril no site da Universidade Estadual do Paraná (Unespar).

A Unespar é a responsável por organizar o concurso neste ano, em parceria com as universidades estaduais de Maringá (UEM), de Londrina (UEL), de Ponta Grossa (UEPG), do Norte do Paraná (UENP), do Oeste do Paraná (Unioeste), do Centro-Oeste (Unicentro), UFPR e Comissão Universidade para os Índios (CUIA) da Superintendência Geral de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Seti).

Os candidatos interessados em participar da seleção devem ter concluído o Ensino Médio e não possuir diploma em curso superior. Para concorrer às vagas nas universidades estaduais é preciso ser reconhecido como indígena, por meio de documento comprobatório assinado pelo cacique da comunidade ou, caso o candidato opte pela inscrição na UFPR, por um representante da Fundação Nacional do Índio (Funai). Após a classificação, os aprovados podem escolher o curso que desejam ingressar.

A inscrição pode ser feita eletronicamente, por meio de correspondência ou pessoalmente. Na candidatura pela internet, o estudante deverá preencher o formulário e anexar a Autodeclaração/Carta de Recomendação assinada pelo candidato e pelo cacique da comunidade.

Na sequência deverá preencher o questionário sócio educacional e indicar a universidade para a qual pretende concorrer em primeira opção. Também é possível indicar outras universidades, como segunda e terceira opções. Se o candidato optar pela inscrição manual, será necessário preencher os documentos indicados e enviá-los pelos Correios ou entregá-los pessoalmente nas secretarias acadêmicas dos campus participantes do processo seletivo. O endereço de cada uma está disponível no edital.

Concurso

O Paraná garante a reserva de vagas suplementares para indígenas ingressarem no Sistema de Ensino Superior Público por meio da Lei Estadual nº 13.134/2001, modificada pela Lei Estadual 14.995 de 2006. O concurso é realizado anualmente pelas universidades, que se revezam na organização e aplicação das provas.

A responsável na Seti pela Comissão Universidade para os Índios (CUIA) e assessora da Coordenaria de Ciência e Tecnologia, Sandra Cristina Ferreira, reforça a importância do vestibular indígena para o ingresso de estudantes em cursos e instituições que são referência no país. 

“A execução dessa política garante aos povos indígenas o direito de acesso à formação superior no Paraná desde 2001. O estudante indígena vive a experiência da vida acadêmica nas nossas universidades e tem a oportunidade de estabelecer diálogo com outra realidade cultural. Além disso, quando concluem a formação superior, passam a atuar nas terras indígenas, atendendo demandas da própria comunidade”, afirma.

Provas

As provas serão aplicadas nos dias 12 e 13 de junho. Os locais para a realização das provas respeitarão a localização geográfica dos inscritos. Candidatos que não residem em terras indígenas ou em municípios relacionados farão as provas em locais indicados pela comissão organizadora do concurso, respeitando a proximidade de sua residência.

No primeiro dia, os candidatos farão prova oral de Língua Portuguesa e no segundo as questões objetivas serão sobre conhecimentos gerais, além da redação. O resultado com os aprovados será divulgado no dia 7 de julho.

Informações da Agência Estadual de Notícias