Governo federal reconhece situação de emergência no Sudoeste com chuvas de outubro

O governo federal reconheceu nesta terça-feira (1º) a situação de emergência no Sudoeste do Paraná por causa das fortes chuvas que atingiram o estado no início do mês. Os 40 municípios listados na Portaria 3.177/2022 da Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil foram afetados por enxurradas, alagamentos e deslizamentos.

Os levantamentos foram realizados tanto por dados apresentados pelas prefeituras quanto pelas secretarias de estado e resultaram no decreto estadual 12.383/2022, primeiro passo para receber auxílio da União. Uma equipe de analistas do Governo ficou dez dias na região auxiliando e orientado a construção dos documentos necessários.

Esse reconhecimento federal vai permitir a transferência de recursos ao estado para auxiliar no atendimento às famílias e na recuperação de estruturas afetadas em vários pontos do interior. Já foi autorizada a liberação de mais de R$ 1 milhão, que serão destinados às ações assistenciais da população, que se somam aos aportes já realizados pelo Paraná.

Com esse reconhecimento, abre-se também a possibilidade da busca por outros auxílios, como liberação do FGTS para regiões mais afetadas e renegociações de financiamentos de agricultores. Será necessária a elaboração de plano de trabalho para a recuperação de infraestruturas afetadas. 

Determinados auxílios federais dependem também da inserção de informações pelo município nos sistemas de registro de ocorrências, pois é a partir deles que as autorizações de recursos são avaliadas.

Chuvas de outubro

Em Francisco Beltrão, o volume de chuvas de outubro chegou a 523,2 milímetros (mm), ultrapassando em 298,5 mm a média histórica, de 224,7 mm. Já em Pato Branco, foram 291,3 mm a mais que a média histórica (232,7 mm), totalizando 524 mm no mês.

Nos eventos da metade do mês, as fortes chuvas comprometeram o abastecimento de água em pelo menos 22 sistemas paranaenses, com paralisação de produção por falta de energia, alagamentos e elevação de turbidez da água. A Copel atendeu milhares de chamados na região.

Em Francisco Beltrão, a Defesa Civil retirou pessoas de 25 casas em um bairro que apresenta vulnerabilidade frente a deslizamentos de terra. Um trecho da PR-182, entre Salgado Filho e Flor da Serra do Sul, desabou e o DER/PR está elaborando o projeto de reparo.

Informações da Agência Estadual de Notícias