Homem invade hospital e ataca a própria mãe com tesouradas; idosa morreu em seguida

A cidade de Apucarana, na região centro-norte do Paraná, presenciou um caso chocante neste fim de semana depois que um homem invadiu o Hospital da Providência para atacar a própria mãe com tesouradas. A idosa de 75 anos estava internada devido a outros problemas de saúde não resistiu aos ferimentos. A morte de Lazinha da Silva Marques foi confirmada por familiares no início da tarde desta segunda-feira (31).

Um sobrinho da vítima contou ao TN Online que a tia estava internada há 15 dias. Ela era diabética, tinha problemas cardíacos e pressão alta, além de ter amputado uma perna recentemente e fazer tratamento contra a depressão. Ele revela que a família está em choque com o que aconteceu.

“Meu primo amava a mãe, ele sempre cuidou dela. Ele tem depressão, trabalhava como cobrador para empresas, há alguns anos sofreu um assalto, ficou traumatizado, se aposentou. Ele sempre foi muito trabalhador e ama a mãe dele, sempre cuidou dela. Nada justifica o que ele fez, mas acreditamos que ele entrou em surto”, revela. Ele já entrou em surto outras vezes, inclusive tentou tirar a própria vida já. Ele é uma pessoa maravilhosa, mas infelizmente também estava sofrendo”, disse o primo.

Segundo a Polícia Civil, durante o depoimento, o homem contou que a mãe amputou a pena há aproximadamente dois meses e que os cuidados com a mulher aumentaram muito, que a idosa havia retornado ao hospital por conta de uma infecção. Durante o domingo (30), o médico responsável pelo tratamento disse que sua mãe receberia alta nesta segunda e precisaria usar uma sonda.

Assim que o médico deixou o quarto, ele entrou em desespero e atacou a mãe com uma tesoura sem ponta que já estava no cômodo. A princípio, o surto dele teria sido por conta da situação financeira da família, que não teria condições de arcar com os custos do tratamento e, por isso, ele teria decidido “por um fim” no sofrimento da mãe.

A Polícia Civil instaurou inquérito para apurar o caso e deve ouvir outros familiares da vítima durante a semana para definir por quais crimes o suspeito responderá.

Com informações do TN Online.