Paraná mobiliza pais a atualizarem a carteira de vacinação das crianças

O Estado do Paraná está mobilizando pais, responsáveis e todas as 399 cidades a se engajarem na Campanha Nacional de Vacinação Contra a Poliomielite e Multivacinação, que vai até o dia 9 de setembro. Ela está auxiliando a atualização da caderneta de crianças e adolescentes e é fundamental em um momento de queda na cobertura vacinal em todo o Brasil.

O Paraná possui 1,8 mil salas de vacina e os municípios estão adotando diversas estratégias para adesão do público à campanha, incluindo horários de funcionamento estendidos e comunicação direta com a população e nas unidades básicas de saúde.

A multivacinação tem a finalidade de atualizar a situação vacinal de crianças e adolescentes menores de 15 anos (14 anos, 11 meses e 29 dias), de acordo com o Calendário Nacional de Vacinação, além de imunizar de forma indiscriminada crianças de 1 ano a menores de 5 anos que estejam com o esquema primário com a Vacina Inativada Poliomielite (VIP), com a Vacina Oral Poliomielite (VOP).

Para a vacinação de crianças, os imunizantes disponíveis são: Hepatite A e B, Pentavalente (DTP/Hib/Hep B), Pneumocócica 10 valente, VIP, VRH (Vacina Rotavírus Humano), Meningocócica C (conjugada), VOP, Febre amarela, Tríplice viral (Sarampo, Rubéola, Caxumba), Tetraviral (Sarampo, Rubéola, Caxumba, Varicela), DTP (tríplice bacteriana), Varicela e HPV quadrivalente (Papilomavírus Humano). Já para os adolescentes, a vacinação inclui: HPV, dT (dupla adulto), Febre amarela, Tríplice viral, Hepatite B, dTpa e Meningocócica ACWY (conjugada).

Os imunizantes que protegem contra o coronavírus podem ser administrados de maneira simultânea, ou com qualquer intervalado, com vacinas de rotina, na população a partir de três anos de idade.

Poliomielite

O Brasil não possui casos registrados de poliomielite desde 1990 e a vacinação é a única forma de manter a erradicação do poliovírus. A estimativa do Ministério da Saúde é que o Paraná tenha 766.339 crianças elencadas como grupo-alvo para essa imunização. A meta é atingir, pelo menos, 95% de cobertura vacinal.

Segundo o governo federal, desde 2015 tem sido detectada uma queda progressiva das coberturas vacinais para poliomielite, que se tornou mais acentuada com a chegada da pandemia de Covid-19. No Estado, nos últimos sete anos, as coberturas foram de 97,4%, em 2015; 87,5% (2016), 90,4% (2017), 90,9% (2018), 89,7% (2019), 86,1% (2020) e 79,7% (2021).

Vacinação

Com a realização destas campanhas de vacinação, o Paraná e o Brasil reafirmam o compromisso internacional de manter o país livre da poliomielite e de manter a situação vacinal da população alvo em dia.

A comunicação e mobilização da população são fundamentais para que se obtenha uma maior adesão a estas estratégias, além do apoio das sociedades científicas e entidades de classe para o fortalecimento do envolvimento da sociedade civil, os pais, responsáveis, educadores, influenciando na captação da população-alvo para vacinação.