Membro de facção é condenado por homicídio e tortura durante ‘Tribunal do Crime’

Em Paranaguá, no Litoral do estado, o Tribunal do Júri condenou um homem denunciado pelo Ministério Público do Paraná por tortura, homicídio duplamente qualificado, ocultação de cadáver e associação criminosa. O réu recebeu a pena de 21 anos, 4 meses e 22 dias de prisão em regime fechado.

Ele confessou ser integrante de organização criminosa que age a partir de estabelecimentos prisionais. Os crimes ocorreram no ano de 2018, de forma extremamente violenta, em contexto de “Tribunal do Crime” – os membros da facção organizavam “julgamentos” com a imposição de penas diversas, inclusive sentenças de morte.

Conforme a denúncia do MPPR, o homem condenado e outras nove pessoas sequestraram, torturaram, mantiveram em cativeiro e mataram a vítima entre os dias 6 e 7 de novembro de 2018 – o corpo foi encontrado boiando em rio da cidade, no dia 8 de novembro, decapitado e com sinais de golpes de faca.

O caso seguiu uma série de outros homicídios ocorridos na comarca e relacionados ao mesmo grupo criminoso, com participação dos mesmos agentes.

Júri atravessa madrugada

O júri teve início na manhã de segunda-feira (22) e seguiu a madrugada de terça-feira (23) com a leitura da sentença condenatória por volta das 2 horas da manhã.

No mesmo julgamento, um segundo denunciado que teve participação no crime foi sentenciado a pouco mais de 10 anos de prisão, em regime semiaberto. Os demais envolvidos no caso ainda serão submetidos à Justiça. Cabe recurso.