Projeto que proíbe linguagem neutra no Paraná começa a ser debatido na Alep

O projeto de lei 663/2020, que tem o objetivo de proibir o uso da linguagem neutra pela administração estadual, começou a ser discutido na manhã desta quarta-feira (13) na reunião da Comissão de Educação da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep).

O PL obteve parecer favorável do relator, mas recebeu um pedido de vista e teve a votação adiada. Para o relator, a linguagem de gênero não está disposta na nossa gramática oficial e, portanto, não deve ser utilizada.

O projeto de lei proíbe a utilização da neutralidade de gênero nas instituições de ensino mantidas pelo Estado do Paraná, em bancas examinadoras de concursos e seleções realizadas ou contratadas pelo poder estadual, na publicidade institucional, informativos, circulares, e-mails, memorandos, documentos oficiais, currículos escolares, editais, provas e exames.

A proposta volta a ser analisada novamente pela Comissão de Educação na próxima quarta-feira (20).

A linguagem neutra se caracteriza pela utilização de outras vogais, consoantes e símbolos que não identifiquem o gênero masculino ou feminino, gerando alterações ortográficas nas palavras.