Funcionários da Renault aceitam acordo e greve termina após 16 dias

Depois de 16 dias, os funcionários da Renault aceitam o acordo e a greve iniciada no dia 6 de maio terminou nesta segunda-feira (23). A empresa sediada em São José dos Pinhais e o Sindicato dos Metalúrgicos da Grande Curitiba (SMC) chegaram a um consenso sobre o acordo de flexibilidade e competitividade.

O documento engloba participação nos lucros e resultados (PLR), data-base, vale-mercado e outras reivindicações da categoria.

A proposta foi fechada entre as partes durante o fim de semana e foi votada em assembleia nesta manhã na porta da fábrica. O acordo foi aprovado pela maioria dos trabalhadores e, portanto, a paralisação foi encerrada.

Propostas do novo acordo

Um dos pontos que levaram os funcionários da Renault a aceitarem o acordo foi a proposta de reajuste salarial. Ficou decidido que eles receberão aumento 13,67% em setembro deste ano ou o equivalente ao INPC mais 1,5%, dependendo do que for mais vantajoso para o trabalhador. Além disso, há a garantia do INPC mais 1,5% em setembro de 2023, garantindo aumento real para a categoria.

Os trabalhadores da Renault ganharam ainda aumento no vale-mercado, que chega a R$ 1 mil neste ano e será reajustado pelo INPC no ano que vem. A diferença do adiantamento da PPR de 2022 será paga no dia 31 deste mês, além do ressarcimento dos descontos dos dias de greve também será reposto no mesmo dia.