Massa News, notícias do Paraná e do Brasil

Curitiba, PR
Clima
22ºC
Massa News, notícias do Paraná e do Brasil

Forças de segurança de Sarandi realizam operação contra envolvidos em assassinato

Redação

Redação

Na manhã desta sexta-feira (21), a Polícia Civil de Sarandi, com apoio de equipes da Polícia Militar de Maringá e da Guarda Municipal de Sarandi, cumpriram mandados de busca e apreensão na 2ª Fase da Operação Madrugada de Terror.

Jhonatan Felipe, vulgo Jhow Jhow, foi assassinado no dia 19 de março deste ano. Imagem: Reprodução/Maringá Urgente

Essa operação é em alusão ao homicídio que vitimou Jhonathan Felipe, vulgo Jhow Jhow, no dia 19 de março deste ano no Jardim Esplanada, em Sarandi. Dois suspeitos já haviam sidos presos com as armas utilizadas no crime. 

Durante o trabalho de investigação nesta sexta-feira, seis envolvidos, todos integrantes de uma facção criminosa atuante no tráfico de drogas em Sarandi, foram identificados. São eles; Caio Cieczinski Lopes, 20 anos (preso), Leandro Rosa de Queiroz, de 20 anos – vulgo Lê Cadela (preso), Lucas dos Santos, de 25 anos vulgo Caixote (preso hoje), Lucas Loan Ferreira Schukes, de 20 anos, vulgo Lucão (foragido), André Gustavo de Jesus do Nascimento, vulgo Chiquinho, adolescente de 17 anos.

De acordo com as investigações, o assassinato foi planejado por Caio Cieczinski Lopes. Os investigadores descobriram que, na madrugada do dia 19 de março, o grupo se reuniu em uma residência localizada no bairro Jardim Independência III, de onde saíram para executar o plano para matar Jow Jow. A vítima havia criado um perfil fake em uma rede social para ameaçar seus desafetos, entre eles Caio.

O crime – Jhonathan Felipe dormia ao lado da esposa e da filha de três anos, quando teve a casa invadida e foi alvejado.  O crime aconteceu por volta das 5 horas, no bairro Jardim Esplanada, em Sarandi.

Segundo a Polícia Civil, o jovem dormia quando dois homens armados derrubaram o portão com um carro, invadiram a casa e começaram a disparar contra Jhow Jhow.

A vítima fazia o uso de tornozeleira eletrônica. Ele foi alvejado por vários disparos, a maioria na cabeça, e não resistiu aos ferimentos, morrendo no local.

Jhonathan era considerado de alta periculosidade pela polícia. Em 2017, ele foi preso pela morte de Alexandre Yves Boa Sorte de 22 anos, morto na frente da esposa e do filho em um bar localizado no Jardim Triângulo, em Sarandi. Também em 2017, ele foi preso pela morte de Danilo Pereira Bueno, 30 anos, que foi morto na frente da mulher e do filho do casal, um menino de 5 anos.

Veja todos os detalhes da operação desta sexta-feira na reportagem do Maringá Urgente:

Entre no grupo do Massa News
e receba as principais noticias
direto no seu WhatsApp!

Compartilhe essa matéria nas redes sociais

Ative as notificações e fique por dentro das notícias

Dá o play Assista aos principais vídeos de hoje
Colunistas A opinião em forma de notícia