Secretaria da Saúde reforça cuidados para evitar acidentes com escorpião

A alta temperatura e chuvas constantes neste período do ano propiciam o aumento no número de casos envolvendo acidentes provocados por animais peçonhentos, entre eles o escorpião. Por esse motivo, a Secretaria de Estado da Saúde do Paraná (Sesa) faz um alerta para a população sobre os cuidados com o animal.

Os escorpiões normalmente são encontrados em ambientes escuros, úmidos e com pouca movimentação. Evitar o acúmulo de entulhos é uma das principais medidas para reduzir o surgimento desses animais, pois esses são locais que podem atrair insetos, como baratas, que são sua principal fonte de alimento.

“Nesse período de altas temperaturas e com a incidência de muita chuva, eles acabam saindo de seus abrigos pelo excesso de água ou pelo calor. Por isso, medidas simples como manter os quintais limpos, evitando o acúmulo de entulhos, materiais de construção e resíduos orgânicos podem dificultar o aparecimento e proliferação dos mesmos”, alerta o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto.

Com maior circulação de escorpiões, os acidentes também aumentam. No Paraná, segundo dados preliminares do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan), em 2021 foram registrados 4.059 acidentes com escorpiões.

Das 22 Regionais de Saúde, o maior número de ocorrência foi nas regionais de Maringá (905), Paranavaí (637) e Ponta Grossa (466). Neste ano, já foram registrados 3.162 casos em todo o Estado, sendo a maioria dos acidentes nas regionais de Maringá (869), Paranavaí (603) e Cornélio Procópio (377).

Ajuda

De acordo com o biólogo da Divisão de Vigilância de Zoonoses e Intoxicações da Sesa, Emanuel Marques da Silva, em caso de acidente, o paciente deve procurar uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) o mais rápido possível.

“Principalmente no caso das crianças, pois elas têm alto potencial de gravidade ao ser picada por um escorpião, por esse motivo, o quanto antes receber atendimento, menores serão os danos causados pelo envenenamento”, afirma.

Sempre que possível, o animal causador do acidente deve ser levado junto ao serviço de saúde. “O tratamento é realizado a critério médico, conforme sinais clínicos de envenenamento, mas levar o animal causador do acidente ou mesmo uma foto, irá auxiliar de forma primordial no diagnóstico”, completa o biólogo.

Ao encontrar um escorpião, com muito cuidado, ele deve ser colocado em um pote com tampa para ser encaminhado às autoridades de saúde. Será realizado então, um Laudo de Identificação do peçonhento, que será encaminhado para o serviço de saúde do município, que por sua vez deverá entrar em contato com o cidadão, fazendo as orientações de prevenção de acidentes e correção dos prováveis ambientes favoráveis para os animais.

Picada

A picada de um escorpião causa dor imediata, podendo irradiar para o membro e ser acompanhada de adormecimento, vermelhidão e suor. Podem surgir suor excessivo, agitação, tremores, náuseas, vômitos, salivação excessiva, dentre outros sintomas mais graves. 

Para tirar dúvidas sobre acidentes causados por animais peçonhentos e intoxicações, a população pode ligar no 08000 410 148 – Centro de Informações e Assistência Toxicológica do Paraná.

Informações da AEN