Sanepar alerta para uso racional da água em Umuarama

A Sanepar alerta a população de Umuarama para que economize água. A Companhia aumentou em 15% a produção de água na cidade em dezembro, em relação aos meses anteriores, mas o aumento no consumo devido às altas temperaturas e ao tempo seco faz acender o sinal de alerta. As unidades de produção e distribuição estão operando no limite de sua capacidade e o Rio Piava teve queda de 45% na vazão por causa da estiagem.

No momento, é imprescindível a cooperação de todos para o uso racional da água. Com o sistema equilibrado entre produção e consumo, a Sanepar consegue atender a demanda de água sem medidas mais severas. Esse equilíbrio vem com medidas simples de economia de água.

Não deixar a torneira aberta o tempo todo ao lavar as mãos ou a louça evitará que vários litros de água tratada sejam desperdiçados. Não faça a barba com a torneira aberta. Banhos rápidos também ajudam na economia. Cada cinco minutos embaixo do chuveiro ligado consome aproximadamente 70 litros de água. Ao escovar os dentes é necessário apenas um copo de água. Usar a vassoura antes de lavar a calçada, que deve ser feita com água usada na lavagem de roupa ou da chuva, jamais com água potável.

Ao usar a máquina, é recomendado juntar o maior volume possível de roupas para lavar de uma só vez. A água do último enxágue das roupas, no tanque ou na máquina, pode ser usada para ensaboar tapetes, tênis, cobertores, pisos e calçadas.

Verificar se há torneiras pingando e vazamentos no imóvel. Os maiores ladrões de água são os vazamentos, torneira pingando e descarga desregulada. É necessária manutenção regular. Em época de estiagem, o ideal é não lavar carros. Se for extremamente necessária a limpeza, deve-se usar balde e pano, reaproveitando a água da chuva ou da lavagem de roupas.

Conforme recomendação da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) é importante que todos os imóveis tenham reservatórios. A Sanepar sugere que cada imóvel tenha uma caixa-d’água de pelo menos 500 litros. Assim, é possível ter água por 24 horas, no mínimo, em casos de desabastecimento.

Informações da AEN